Início » Internacional » Governos investem em mapas online
Cartografia

Governos investem em mapas online

Localização física está se tornando ainda mais importante no mundo digital

Governos investem em mapas online
Endereços têm cada vez mais importância no mundo virtual também (Reprodução/Adam Howling)

Endereços sempre foram importantes no mundo real: entre outras coisas, eles ajudam a estabelecer a identidade das pessoas e a guiar os serviços de emergência para onde eles precisam estar. Endereços têm cada vez mais importância no mundo virtual também, na medida em que sites e aplicativos dependem deles para dar orientações, apontar usuários para o cinema mais próximo, o posto de gasolina mais barato e muito mais. Um caderno de endereços preciso e detalhado, que inclui coordenadas geográficas, é um dos elos modernos entre os mundos físico e digital.

Alguns países acreditam que os endereços são uma parte tão importante de sua infraestrutura econômica e social que decidiram que publicar e atualizá-los deve ser feito por um único órgão central e que o acesso deve ser livre, sem condições. A Dinamarca investiu nisso mais do que a maioria. Embora o país tenha, há muito tempo, um sistema padronizado para o cadastramento de endereços físicos, até 2001 várias agências governamentais e empresas mantinham seus próprios cadastros.

Agora o ministério de Assuntos Urbanos criou um cadastro nacional unificado. Ele é atualizado diariamente com dados de municípios, que são responsáveis ​​por seus endereços. Qualquer pessoa pode baixá-lo sem pagar ou estar vinculado por termos de licença. Um estudo realizado em 2010 revelou que a manutenção tinha custado US$ 2,7 milhões nos últimos cinco anos, comparado a benefícios financeiros de 30 vezes esse valor, principalmente para as 1.200 empresas e outras entidades que sabidamente usaram os dados. A Noruega e a Holanda têm implementado sistemas semelhantes.

Os governos precisam agir rapidamente se quiserem acompanhar alguns sites de cartografia na internet. Em muitos países, o Google Maps ainda é mais completo e confiável do que as fontes oficiais.

 

Fontes:
The Economist-Getting on the map

1 Opinião

  1. Joma Bastos disse:

    Brasil, não te deixes atrasar!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *