Início » Internacional » Iêmen tem uma morte por cólera a cada hora
SAÚDE

Iêmen tem uma morte por cólera a cada hora

A guerra civil não permite que ajuda humanitária chegue ao país para prevenir e tratar a epidemia

Iêmen tem uma morte por cólera a cada hora
A epidemia de cólera começou em outubro de 2016 (Foto: Wikipedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou, na quinta-feira, 8, números alarmantes de casos de cólera no Iêmen: a epidemia já causou 100 mil casos suspeitos da doença desde o dia 27 de abril deste ano. Neste período, 798 mortes foram associadas à cólera, algo como uma morte a cada hora no país.

“Até hoje, 101.820 casos suspeitos de cólera e 789 mortes foram relatados em 19 estados”, disse o porta-voz da OMS à agência Reuters. Trata-se de uma crescente catástrofe humanitária depois de dois anos de guerra civil que assola o país e enfraquece a estrutura de assistência à saúde.

“O Iêmen está submetido a uma grave epidemia de cólera em uma escala sem precedentes”, diz um documento publicado pela organização na quarta-feira, 7. “Crianças e mulheres desnutridas, pessoas vivendo com outras condições de saúde crônicas e os lares que não têm alimento suficiente estão agora sob risco maior de morte ao enfrentar uma ‘ameaça tripla’: conflito, fome e cólera”, completa o texto.

Já são 19 milhões de pessoas, de uma população de 28 milhões, carentes de ajuda humanitária, muitas delas no limite da fome. A epidemia de cólera começou em outubro de 2016, se estendeu até dezembro e perdeu força, mas nunca desapareceu.

“Trabalhadores das área de saúde e saneamento não são pagos há cerca de oito meses, somente 30% dos suprimentos médicos necessários estão sendo importados para o país, a coleta de lixo nas cidades é irregular, e mais de 8 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e saneamento satisfatório”, aponta o documento da OMS.

O diretor da ONG Oxfan, Sajjad Mohammed Sajid, diz que a guerra dificulta o tratamento da doença. “O Iêmen está à beira do abismo. A cólera é simples de tratar e prevenir, mas enquanto os conflitos continuam, a tarefa é duplamente difícil”.

Fontes:
O Globo-Em epidemia sem precedentes, Iêmen tem uma morte por cólera a cada hora

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *