Início » Internacional » Independência energética requer inovação
Alternativa

Independência energética requer inovação

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Há algum tempo políticos norte-americanos debatem sobre a independência energética e as alterações climáticas. No entanto, os investimentos do governo em pesquisa e desenvolvimento no setor de energia vêm sendo bem abaixo dos níveis dos anos 1970.

No dia 23 de março, Barack Obama e o secretário de Energia dos EUA, Steven Chu, anunciaram como seria gasto parte do orçamento do Departamento de Energia dos EUA, destinando uma quantia para pesquisa. A Economist, no entanto, ressalta que gastar dinheiro é fácil, mas é preciso um trabalho árduo para obter resultados.

A revista britânica lembra a bomba atômica surgiu do Projeto Manhattan, realizado durante a Segunda Guerra Mundial. O Programa Apollo, por sua vez, levou o homem à Lua. A Economist diz que o objetivo de Obama de reduzir em 80% as emissões de gases de efeito estufa até 2050 pelo menos é tão ambicioso quanto estes projetos do passado. No entanto, para atingir esta meta, as empresas terão que inovar e a população terá que abraçar as inovações.

Fontes:
Economist - Energiser money

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Dorival Silva disse:

    Parece que Obama, ao contrário do analfabeto Bush, sabe da importância de diminuir a dependência do petróleo. Por enquanto as energias alternativas, como a eólica e a solar, são muito caras, mas é só jogar dinheiro em pesquisa que elas se tornarão viáveis.

  2. heloisa disse:

    Obama está certo. Mas inovação certamente não virá com a combinação de cacau e carvão. A pesquisa nuclear já vem dando resultado. Dorival está correto, mas pode se tranquilizar: as energias santas, eólica e solar estão sendo maçiçamente pesquisadas. Vamos aguardar, porém poupando.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *