Início » Internacional » Índia pode se transformar na economia mais dinâmica do mundo
Economia Indiana

Índia pode se transformar na economia mais dinâmica do mundo

O país tem um enorme potencial de crescimento: o povo indiano é empreendedor e quase metade dos 1,25 bilhões de habitantes tem menos de 25 anos

Índia pode se transformar na economia mais dinâmica do mundo
A Índia poderá se tornar uma das mais fortes e dinâmicas economias do mundo (Reprodução/Economist)

As economias emergentes costumavam ser um sinal de esperança na economia mundial, mas agora são, com mais frequência, uma fonte de períodos sombrios. A economia da China está em processo de desaceleração. O Brasil enfrenta uma crise de estagflação. A economia da Rússia está em recessão, pressionada pelas sanções do Ocidente e a queda do preço do petróleo; a África do Sul debate-se em meio à ineficiência e à corrupção. Mas nesse cenário desalentador surge uma economia em ascensão: Índia.

Se a Índia conseguir se libertar do legado de uma política contraproducente, o país poderá se tornar uma das mais fortes e dinâmicas economias do mundo. Essa tarefa recairá em Arun Jaitley, o ministro da Economia, que em 28 de fevereiro irá apresentar a primeira proposta orçamentária de um governo eleito com o compromisso de reduzir drasticamente os custos e promover o crescimento. Em julho de 1991 um orçamento estratégico e bem estruturado abriu a economia indiana ao comércio, ao capital estrangeiro e à competição. Hoje, a Índia precisa adotar um planejamento financeiro e uma gestão organizacional que causem o mesmo impacto.

A Índia tem um enorme potencial de crescimento. O povo indiano é empreendedor e quase metade dos 1,25 bilhões de habitantes tem menos de 25 anos. É um país pobre e, portanto, tem muitas oportunidades de crescimento: o PIB por pessoa (de acordo com a paridade do poder de compra) era de U$5,500 em 2013, comparado a U$11,900 na China e a U$15,000 no Brasil. A economia se fragmentara com os impostos locais arrecadados nos países de fronteira, mas o apoio dos partidos políticos para criar um imposto nacional de bens e serviços geraria um verdadeiro mercado comum. O potencial existe; a questão é se tem capacidade de se expandir.

Fontes:
Economist-A chance to fly

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *