Início » Internacional » Índia subestima número de abortos, diz estudo
ABORTO

Índia subestima número de abortos, diz estudo

Pesquisa estima que ocorreram 15,6 milhões de abortos entre 2014 e 2015, diferente do número sugerido pelo governo

Índia subestima número de abortos, diz estudo
Na Índia, falar sobre sexo continua sendo um tabu (Foto: Pixabay)

Segundo dados do Ministério da Saúde indiano, ocorreram 701.145 abortos na Índia entre 2014 e 2015. No entanto, um estudo sugere que a prática é muito mais comum do que o governo indiano revela oficialmente. A pesquisa estima que 15,6 milhões de abortos ocorreram em 2015. Para piorar, 78% de todas essas gravidezes, o que equivale a 12,3 milhões de casos, foram feitos fora de hospitais, sugerindo que as indianas estão praticando o aborto por conta própria.

O estudo, publicado nesta semana no Lancet Global Health, foi feito por um grupo do Instituto Guttmacher em Nova York, do Instituto Internacional de Ciências Populacionais e pelo Conselho de População de Nova York. Para estimar o número de abortos nacionais, eles usaram dados de 2015 de hospitais de seis estados indianos (Assam, Bihar, Gujarat, Madhya Pradesh, Tamil Nadu e Uttar Pradesh), clínicas de ONGs, além dos números de venda e distribuição de pílulas abortivas.

Segundo os pesquisadores, os dados oficiais não consideram abortos feitos por médicos do setor privado que não trabalham em lugares registrados. O governo também não leva em consideração pílulas abortivas que não precisam de prescrição médica, que são vendidas em farmácia desde o início dos anos 2000.

Apesar das pílulas abortivas serem eficientes e seguras quando administradas corretamente, os autores não sabem se as indianas estão recebendo as informações corretamente e usando a pílula de forma adequada. Na Índia, falar sobre sexo continua sendo um tabu. Estudos anteriores já mostraram que o uso de contraceptivos está em declínio. Além disso, o governo indiano proibiu a veiculação de comerciais de preservativos na televisão entre às 6h e 22h, por considerar o conteúdo vulgar.

Os autores não sabem dizer o motivo pelo qual o número de abortos está tão alto, mas eles acreditam que o número representa um terço de todas as gestações daquele ano. Além disso, quase metade das gestações daquele período não foram planejadas. O estudo diz que o governo precisa se adaptar à realidade, fazendo com que os serviços de aborto seguro fiquem disponíveis pelo país. Também é preciso assegurar que mulheres de todos os segmentos da sociedade tenham acesso às informações.

Fontes:
Quartz-A health journal estimates India underreported almost 15 million abortions in a year

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *