Início » Internacional » Investigações revelam que FARC ocultou fortuna estimada em US$ 600 milhões
Colômbia

Investigações revelam que FARC ocultou fortuna estimada em US$ 600 milhões

Líderes da guerrilha teriam mais de mil propriedades, entre elas uma de 900 mil hectares, dados esses que foram ocultados nas negociações de paz

Investigações revelam que FARC ocultou fortuna estimada em US$ 600 milhões
Ivan Marquez, negociador das FARC pela paz. Procurador defende que dinheiro da guerrilha deve ser usado para indenizar vítimas (Foto: Reprodução/Reuters)

Segundo um grupo de inteligência, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) ocultaram uma propriedade de 900 mil hectares nas negociações de paz. Segundo a revista Forbes, as FARC são o terceiro grupo terrorista mais rico do mundo.

Leia mais: Presidente da Colômbia suspende tratado de paz com as FARC

A propriedade ocupa grandes áreas das regiões de Huila, Caquetá e Meta, na Colômbia. Na propriedade, tem prédios utilizados pela guerrilha e também de terrenos pertencentes ao governo colombiano.

Além do gigantesco terreno, os guerrilheiros teriam outras mil propriedades e uma renda anual avaliada em US$ 600 milhões, provenientes do narcotráfico, da mineração ilegal e da extorsão. No começo do grupo, essas fontes de renda eram utilizadas para financiar os membros, porém hoje faz parte da fortuna pessoal dos chefes, que fizeram questão de ocultar essa fortuna das negociações paz realizadas em Cuba.

“No final de 2012, quando começaram os diálogos de paz, eles deram ordens para inventariar propriedades rurais e urbanas, e demais bens, para passar para terceiros, em três fases e já estão na última” disse um dos investigadores.

A ideia de esconder a fortuna teria funcionado, não fosse a participação de generais que abandonaram a causa nas investigações, como Ely Mendoza e Martín Sombra. Emails trocados entre os líderes da guerrilha também ajudaram a identificar as propriedades escondidas das negociações.

A ideia dos líderes da FARC era vender as propriedades que estavam em nome de seus parentes e reinvestir o dinheiro fora do país. O procurador Alejandro Ordóñez defende que o tema seja discutido nas negociações de paz e que o dinheiro da guerrilha seja usado para ressarcir as famílias das vítimas.

Fontes:
O Globo-Fortuna das Farc fica de fora das negociações de paz, em Havana

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *