Início » Internacional » Isis controla toda a fronteira sírio-iraquiana
Oriente Médio

Isis controla toda a fronteira sírio-iraquiana

Nove províncias, ou metade da Síria, estão sob domínio do grupo, que também avança no Iraque

Isis controla toda a fronteira sírio-iraquiana
Os jihadistas visam construir um califado em territórios da Síria e do Iaque (Foto: Wikimedia)

Na última quinta-feira, 21, o último posto de fronteira da Síria com o Iraque, que ainda era controlado pelo governo do presidente Bashar al-Assad, foi dominado pelo Estado Islâmico. Agora, nove províncias, ou metade da Síria, estão sob domínio do grupo, que também avança no Iraque. Os jihadistas visam construir um califado em territórios dos dois países.

O governo sírio fez vários pedidos de ajuda à comunidade internacional para manter o domínio sobre Palmira. Após o Isis conquistar a cidade milenar, o grupo executou pelo menos 17 pessoas. Os jihadistas proibiram a população de sair de casa e estão revistando residências em busca de possíveis colaboradores do governo.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos confirmou a informação sobre a queda do último posto sob controle das forças de Assad na fronteira iraquiana. “O regime já não tem nenhum tipo de controle na fronteira com o Iraque”, disse Rami Abdel Rahman, diretor da ONG.

De acordo com moradores, o Isis estava movimentando seus combatentes para tomar refinarias de petróleo e gás nos arredores de Palmira, que dá acesso a várias outras cidades do país. Além disso, algumas informações indicam que líderes de organizações como a Irmandade Muçulmana tinham sido removidos para Damasco, num sinal de que as autoridades já se preparavam para uma derrota iminente.

O Isis tem o hábito de destruir símbolos de outras culturas para propagandear suas ações contra grupos que eles acreditam ser infiéis. A Unesco alertou  que há risco de destruição completa da cidade, incluindo colunas romanas e templos, que são considerados Patrimônios da Humanidade.

Pânico no Ocidente?

Mas, nem todos estão alarmados com os avanços do Estado Islâmico na Síria e no Iraque. Segundo um artigo de opinião do New York Times, apesar da queda da cidade iraquiana de Ramadi e da cidade síria de Palmira ser um grande ganho para o grupo terrorista, isto não representa um desastre completo, como muitos observadores temem. Ahmed Ali, autor do texto, é diretor do Iraq Security and Humanitarian Monitor no Centro da Educação para a Paz no Iraque, em Washington.

Ele diz que, em vez de induzir pânico nas capitais ocidentais, isto deveria conduzir a uma avaliação realista dos pontos fortes e fracos do Estado Islâmico. Ramadi é um lembrete de que esta é uma batalha longa, mas é fundamental para os iraquianos vencer. Segundo ele, as tropas americanas não devem colocar suas vidas na frente de batalha mais uma vez para dar outra chance ao Iraque.

 

Fontes:
The New York Times-Calm Down. ISIS Isn’t Winning
O Globo-Jihadistas controlam toda a fronteira sírio-iraquiana

1 Opinião

  1. jayme endebo disse:

    Haverá ainda muito banho de sangue naquela região e só irá terminar quando as novas fronteiras forem materializadas de acordo com as forças dominantes há séculos. Estas fronteiras do antigo Império Otomano foram desenhadas pelas Inglaterra e frança com deboche e arrogancia e agora será redesenhada com sangue principalmente de inocentes.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *