Início » Internacional » Islã apela por ações em prol do meio ambiente
Meio-ambiente

Islã apela por ações em prol do meio ambiente

Líderes religiosos se reuniram em Istambul para uma reunião sobre a produção de gás

Islã apela por ações em prol do meio ambiente
“Nós pedimos que as nações mais ricas liderem o caminho para eliminar as emissões de gás o mais cedo possível”, dizia o documento (Foto: Wikipedia)

Representantes do islamismo acrescentam suas vozes ao coro movido por ações para a conservação do planeta. É mais uma religião monoteísta a unir-se à causa do meio ambiente, seguindo o exemplo do Papa Francisco, que apresentou sua encíclica de 192 páginas sobre mudanças climáticas e poluição em junho deste ano.

Leia mais:  Papa supera fronteiras do catolicismo ao abordar meio ambiente

Em uma reunião em Istambul, em 17 de agosto, onde estavam presentes representantes muçulmanos do Marrocos, Bósnia e Indonésia, foi elaborado um pedido passional e incrivelmente detalhado para que um novo acordo global seja feito na Conferência Climática de Paris, em dezembro. “Nós pedimos, particularmente às nações mais ricas e os estados produtores de petróleo, que liderem o caminho para eliminar as emissões de gás o mais cedo possível e não mais tarde que a metade do século”, dizia o texto.

Alguns acharam que a declaração islâmica pode acabar tendo mais influência que a encíclica do papa: há mais muçulmanos que católicos no mundo, apesar de os cristãos ainda serem maior em número que os seguidores que o Islã.

Um dos problemas com diálogos religiosos e inter-religiosos é que conversas sobre o meio ambiente podem soar fantasiosamente otimistas. Ambientalistas frequentemente classificam as opiniões religiosas no assunto como antropocêntricas; outros ambientalistas, os mais céticos, as classificam como não antropocêntrica o suficiente, talvez por serem muito sentimentalistas.

De qualquer forma, há mérito nas discussões eco-religiosas: o aumento dos níveis marítimos, derretimento das geleiras e expansão dos desertos afetarão todos da mesma maneira, independente de qual for sua crença.

Fontes:
The Economist - In almost perfect harmony

1 Opinião

  1. ney disse:

    É o fim do mundo, o começo da união de todas as religiões comandadas pelo vaticano, com o pretexto de sustentabilidade e meio ambiente. No próximo mês o pontífice do vaticano vai falar (por que ele não prega a palavra de DEUS) na ONU e no congresso Americano. É o fim.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *