Início » Internacional » Israel e Egito cooperam para exterminar jihadistas no Sinai
CONTRA O TERRORISMO

Israel e Egito cooperam para exterminar jihadistas no Sinai

Aviões e helicópteros israelenses têm atacado constantemente a região do Sinai, que serve de esconderijo para grupos terroristas

Israel e Egito cooperam para exterminar jihadistas no Sinai
O Egito tem se dedicado há anos à campanha para acabar com grupos terroristas em seu território (Foto: Wikimedia)

Aviões e helicópteros israelenses, com apoio do governo egípcio, realizaram dezenas de ataques contra o Estado Islâmico (EI) e outros grupos terroristas que se escondem no Sinai, uma região montanhosa do Egito. As informações foram divulgadas por dois ex-oficiais de alto comando dos Estados Unidos.

O Egito tem se dedicado há anos à campanha para acabar com grupos terroristas em seu território, mesmo tendo enfrentado grandes dificuldades para obter êxito. Isso porque os jihadistas têm contra-atacado e feito centenas de mortos em seus atentados, como em novembro do ano passado, quando instalaram bombas dentro da mesquita al-Rawdah, no vilarejo de Bir al-Baden.

Já no início desse mês de fevereiro, dois oficiais das forças de segurança morreram em uma explosão em uma estrada ao sul de El Arish.  Anteriormente, o Estado Islâmico, inclusive, chegou a tomar o controle da cidade de Sheikh Zuweid, ao norte do Sinai, lançando diferentes ataques a policiais, soldados e igrejas na proximidade.

Dessa forma, formou-se a aliança secreta entre o Egito e Israel, que deixaram as diferenças seculares de lado para combater o terrorismo na região, freando o crescimento do EI e outros grupos terroristas.

De acordo com funcionários israelenses, a preocupação do país com a segurança nacional têm os aproximado das nações do Golfo Pérsico. O ex-Ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon, disse, em 2016, que autoridades do país estavam se encontrando com parceiros dos Estados do Golfo para discutir a possibilidade de se unirem contra o mesmo inimigo: o Irã.

A percepção pública desses dois países [Israel e Egito] de como eles se relacionam não está em sintonia com a forma com a qual ambos trabalham secretamente contra o terrorismo”, explicou um ex-funcionário dos Estados Unidos que não quis se identificar.

Outro ex-funcionários dos EUA destacou que a união de dois países que anteriormente tinham muitos problemas em suas relações apenas reforça a ineficiência de algumas nações em combater o terrorismo dentro do próprio território.

“Este é um indicativo do quão próximos estes dois países ficaram por causa da cooperação em segurança. Mas isto também mostra a fraqueza dos egípcios em lidar com a ameaça terrorista. Tanto Israel quanto os Estados Unidos têm se queixado do fato de os egípcios não seguirem as recomendações e conselhos oferecidos a eles já há algum tempo” explicou.

O ex-oficial ainda garantiu que os Estados Unidos estavam cientes das cooperações entre os dois países, mas não desempenhou nenhum papel importante para dar suporte às operações.

Parceria secreta

Segundo o New York Times, os aviões israelenses que estão dando suporte ao Egito não têm identificação e fazem rotas diferentes para que não pareçam estar saindo de Israel. Alguns jornalistas israelenses se manifestaram insinuando que não podem contar algumas histórias por causa das censuras, sendo obrigados a enviar as reportagens baseadas na segurança nacional para a censura militar antes da publicação.

O EI tem sofrido grandes perdas nos últimos anos, incluindo parte do seu autoproclamado califado no Iraque e na Síria, além do colapso de seus exércitos e a perda de Raqqa, na Síria. Mesmo assim, especialistas americanos chamam a atenção para um possível contra-ataque jihadista com o objetivo de provar sua relevância.

Fontes:
O Globo - Israel faz ataques secretos a jihadistas no Sinai com sinal verde do Egito

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *