Início » Internacional » Israel obriga diretor da HRW a sair do país
ACUSADO DE APOIAR BOICOTE

Israel obriga diretor da HRW a sair do país

Governo israelense acusa Omar Shakir de apoiar boicotes contra Israel e dá prazo de 14 dias para que ele deixe o país

Israel obriga diretor da HRW a sair do país
Shakir investiga abusos nos direitos humanos em Israel, no Oriente Médio e em Gaza (Foto: Twitter/@OmarSShakir)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O governo de Israel revogou a permissão de trabalho de Omar Shakir, diretor local da ONG Human Rights Watch (HRW) para Israel e Palestina, que tem nacionalidade americana. Agora, Shakir tem um prazo de 14 dias para deixar o país.

A medida foi tomada sob a alegação de que Shakir apoia boicotes contra Israel. O diretor local da ONG nega as acusações e recebe apoio da HRW, que está tomando medidas legais para enfrentar a decisão.

Como diretor local, Shakir investiga abusos em relação aos direitos humanos em Israel, no Oriente Médio e em Gaza. Segundo Iain Levine, vice-diretor executivo da HRW, a expulsão “não tem a ver com Shakir, mas sim com calar as críticas da Human Rights Watch a Israel”.

Numa declaração, a HRW disse que o “Ministério de Assuntos Estratégicos de Israel, criado em 2006, tem dedicado recursos significantes para monitorar críticos das políticas de Israel”, citando a negação de entrada no país, em 29 de abril, de dois advogados de direitos humanos americanos. Enquanto isso, “apoiadores dos direitos dos palestinos vêm recebendo ameaças de morte anônimas e estão sendo alvos de restrições de viagem e até prisões e acusações criminais”. Ainda segundo a ONG, esta foi a primeira vez desde que a organização “começou a monitorar Israel e os Territórios Ocupados, há 30 anos, que Israel ordenou que um de seus membros deixasse o país”.

De acordo com a HRW, a decisão foi baseada “num dossiê de um ministério do governo que compilou as atividades de Shakir por mais de uma década”. A ordem de expulsão foi assinada pelo Ministro de Assuntos Estratégicos israelense, Gilad Erdan.

O ministro do Interior de Israel, Aryeh Deri, afirmou que é inconcebível que “um ativista do boicote possa receber permissão para continuar em Israel, podendo agir de qualquer forma possível contra o Estado”. Ele também disse que iria fazer de tudo para expulsar esse tipo de pessoa do país.

Em fevereiro de 2017, Shakir teve sua permissão de trabalho recusada. O governo alegou que “as atividades públicas e relatórios do HRW se envolveram em política a serviço da propaganda Palestina, enquanto levantavam a bandeira falsa de ‘direitos humanos’”. No entanto, a decisão foi revogada e Shakir conseguiu um visto de trabalho de um ano em abril de 2017.

 

Leia também: Israel vai negar visto de trabalho para membros do Human Rights Watch

Fontes:
G1-Israel dá prazo de duas semanas para que o diretor de ONG deixe o país
The Guardian- Israel orders Human Rights Watch representative to leave
HRW-Israel Orders Human Rights Watch Official Deported

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Rogerio Faria disse:

    Democracia de Israel não é exemplo para o mundo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *