Início » Internacional » Israel planejava criar ônibus diferentes para judeus e palestinos
Política separatista

Israel planejava criar ônibus diferentes para judeus e palestinos

Comparado ao apartheid, projeto determinava rotas especiais para palestinos que trabalham em Israel e os proibia de usar ônibus judeus na Cisjordânia

Israel planejava criar ônibus diferentes para judeus e palestinos
Governo israelense cancelou o plano, temendo que ele prejudicasse a imagem internacional do país (Foto: Wikipedia)

Um plano para separar judeus e palestinos em transportes públicos causou polêmica em Israel nesta quarta-feira, 20. A medida tinha como alvo palestinos que têm permissão para trabalhar em Israel, a maioria no setor de construção civil.

Leia mais: Refugiados africanos em Israel devem deixar o país ou serão presos

O plano determinava que palestinos que trabalham em Israel só poderiam voltar para casa por determinadas rotas, que contêm postos de fiscalização. Além disso, proibia que palestinos utilizassem ônibus israelenses nas áreas da Cisjordânia onde há acampamentos judeus.

O projeto foi aprovado pelo ministro da Defesa israelense Moshe Ya’alon e entraria em vigor nesta quarta-feira. Porém, foi cancelado pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, horas após ser anunciado. O governo israelense decidiu cancelar o plano por temer que ele prejudicasse a imagem internacional do país.

Ativistas de direitos humanos e membros da oposição israelense compararam o projeto ao apartheid. “Isso parece o apartheid. Não há melhor definição. Ônibus diferentes para judeus e palestinos prova que a democracia e a política de ocupação não podem coexistir”, disse Zahava Gal-On, líder do partido de esquerda Meretz.

O ministro Ya’alon constantemente afirma que é preciso aumentar a supervisão aos árabes que retornam à Cisjordânia. Seu projeto foi muito apoiado por judeus que vivem em acampamentos na região.

A polêmica ocorre na mesma semana em que o governo israelense enviou cartas a mais de 45 mil refugiados africanos que vivem no país, dando um prazo de 30 dias para que retornem à África, sob pena de ir para prisão por tempo indeterminado.

Fontes:
The Guardian-Israel scraps scheme to ban Palestinians from buses

2 Opiniões

  1. Hugo Leonardo Filho disse:

    Do ponto de vista religioso, palestinos e judeus podem viajar no mesmo ônibus, porque enquanto uns rezam ajoelhados, os outros ficam batendo com a cabeça na parede.

  2. Roberto1776 disse:

    Benny sabe que Israel só tem condições de sobreviver permanecendo fora da praga do politicamente correto.
    Infelizmente o DNA do abominável irmão Marx está no sangue judeu e a esquerda israelense não pode ser desprezada, mesmo que isso cause graves problemas para Israel.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *