Início » Internacional » Israel protesta contra lei que isenta Polônia de crimes nazistas
SEGUNDA GUERRA

Israel protesta contra lei que isenta Polônia de crimes nazistas

Projeto de lei polonês visa isentar a Polônia da responsabilidade de crimes cometidos por nazistas em seu país durante a Segunda Guerra

Israel protesta contra lei que isenta Polônia de crimes nazistas
Primeiro-ministro israelense disse que seu país não aceitará tentativa de reescrever a história (Foto: Flickr)

O governo de Israel protestou contra um projeto de lei polonês que visa isentar a Polônia da responsabilidade de crimes cometidos por nazistas em seu país. O protesto contra o texto, que foi aprovado pela Câmara e será encaminhado ao Senado, ocorreu no último domingo, 28.

A intenção da Polônia é que os campos de concentração construídos no país durante a Segunda Guerra Mundial, onde os judeus eram mantidos, parem de ser chamados de “campos de morte poloneses”. Segundo o governo polonês, a aprovação do projeto não vai limitar as investigações a respeito do Holocausto.

“Judeus, poloneses e todas as vítimas devem ser guardiães da memória daqueles que foram assassinados pelos nazistas alemães. Auschwitz-Birkenau não é um nome polonês”, afirmou o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, através de uma postagem nas redes sociais no último sábado, 27.

Em um comunicado, o governo da Polônia afirmou que o desejo é fazer com que o Estado deixe de ser acusado pelos crimes praticados pelos nazistas. Segundo o Instituto Polonês de Memória, o país sempre foi reconhecido como aliado de Adolf Hitler, o que faz com que a proposta atual seja “necessária para proteger sua reputação”.

O governo israelense, no entanto, não pareceu ter ficado satisfeito com as explicações, exigindo de diplomatas poloneses maiores detalhes. Além disso, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, vai se encontrar com os assessores do presidente polonês, Andrzej Duda, ao longo desta semana. “Em nenhuma circunstância aceitaremos qualquer tentativa de reescrever a história”, declarou Netanyahu.

A Polônia, antes da Segunda Guerra Mundial, tinha a maior comunidade judaica da Europa, com cerca de 3,2 milhões de judeus. Porém, em 1939, os nazistas ocuparam o país, construindo diferentes campos de concentração, entre eles Auschwitz e Treblinka.

 

Leia também: Registros do Julgamento de Auschwitz tornam-se Patrimônio Mundial
Leia também: Israel quer deportar africanos, mas rabinos se unem contra decisão

Fontes:
Folha de São Paulo - Israel protesta contra lei que isenta Polônia de crimes na guerra

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Jorge Hidalgo disse:

    Crimes contra a Humanidade não prescrevem, pelo que, muito correta a posição de Israel. Atualmente só se vê negação dos mais elementares direitos como à vida, à memória, etc

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *