Início » Internacional » Japão reconhece primeira possível vítima da radiação de Fukushima
ACIDENTE NUCLEAR

Japão reconhece primeira possível vítima da radiação de Fukushima

Medida pode afetar os esforços de recuperação do desastre e também deve aumentar as indenizações

Japão reconhece primeira possível vítima da radiação de Fukushima
Funcionários no centro de operações de emergência de Fukushima (Fonte: Reprodução/AP)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um funcionário terceirizado da usina de Fukushima, no Japão, diagnosticado com câncer foi reconhecido nesta terça-feira, 20, pelo governo japonês como a primeira possível vítima da radiação do acidente nuclear de 2011.

Leia também: Câncer infantil é associado à radiação de Fukushima
Leia também: Japão reativa reator nuclear depois de Fukushima
Leia também: A missão impossível da limpeza industrial de Fukushima

A medida pode afetar os esforços de recuperação do desastre e também deve aumentar as indenizações, que até julho deste ano já chegaram a quase US$ 60 bilhões.

Por enquanto as indenizações foram pagas aos familiares dos mortos, às vítimas das remoções forçadas e em função do trauma psicológico enfrentado pelos antigos moradores desde o acidente nuclear de Fukushima.

O governo japonês e a indústria nuclear local afirmavam até então que os efeitos da radiação para a saúde da população têm sido mínimos.

O acidente nuclear de Fukushima foi causado por um terremoto seguido de maremoto em 2011 e foi considerado o pior do mundo desde Chernobyl. Mais de 160 mil pessoas tiveram que deixar suas casas.

A primeira vítima da radiação reconhecida pelo governo japonês era um funcionário de cerca de 30 anos de uma companhia subcontratada pela Tepco, empresa responsável pela operação da usina de Fukushima. Ele teria morrido de leucemia provocada pela radiação.

Fontes:
Veja - Japão reconhece primeira vítima de radiação por acidente em Fukushima

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *