Início » Internacional » Jihadistas usam o Ramadã como arma para convocar ataques
MÊS SAGRADO

Jihadistas usam o Ramadã como arma para convocar ataques

Segundo a religião islâmica, o sacrifício feito durante o Ramadã tem mais valor. Grupos jihadistas se aproveitam disso para convocar ataques de mártires

Jihadistas usam o Ramadã como arma para convocar ataques
Grupos como o Estado Islâmico vêm pervertendo o sentido do Ramadã (Foto: Wikipedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na última sexta-feira, 1, jihadistas invadiram um café em Dhaka, capital do Bangladesh, e mataram 22 pessoas, a maioria turistas estrangeiros.

Os jihadistas invadiram o estabelecimento e fizeram os clientes locais de reféns por mais de 12 horas. Eles libertaram todos os que conseguiram provar que eram islâmicos recitando versos do Corão. Os demais foram classificados como infiéis e mortos a golpes de facão.

Leia também: Isis reivindica atentado que matou mais de 140 em Bagdá

O ataque é mais uma prova de como o Ramadã, o mês sagrado do Islã, vem sendo usado como arma por grupos fundamentalistas para convocar ataques em várias partes do mundo.

O Ramadã é celebrado anualmente de 5 de junho a 5 de julho. Segundo o Islã, foi neste período que Alá revelou ao profeta Maomé os primeiros versos do Corão. Durante o mês, os islâmicos devem jejuar da alvorada até o pôr do sol e refletir sobre os valores sacros para renovar a fé.

Porém, grupos como o Estado Islâmico (Isis) vêm pervertendo o sentido do autossacrifício praticado no mês para convocar “mártires do Islã” a realizar ataques contra infiéis. Desde que o Ramadã deste ano começou, já ocorreram ataques em Orlando (EUA), no Afeganistão, Quênia, Líbano, Istambul (Turquia), Bangladesh e Iraque.

No início do mês passado, um relatório divulgado pelo Conselho Consultivo de Segurança no Exterior (OSAC), órgão comandado pelos EUA, fez um alerta sobre o risco de aumento nos ataques jihadistas durante o Ramadã.

“Segundo a religião islâmica, sacrifício feito durante o Ramadã tem mais valor do que os realizados em outros períodos. Logo, um chamado ao martírio neste mês tem um poder de sedução especial sobre alguns”, diz o texto.

O relatório citava um vídeo divulgado pelo Estado Islâmico em que o porta-voz do grupo extremista, Abu Mohammad al-Adnani, convocava militantes a “se preparar para fazer deste um mês de calamidade generalizada para todos os infiéis”.

Fontes:
Breitbart-Ramadan: a time to kill for allah

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *