Início » Internacional » John Kerry negocia cessar-fogo em Gaza
Faixa de Gaza

John Kerry negocia cessar-fogo em Gaza

A viagem ocorreu mesmo após proibição da Administração Federal de Aviação, que impôs uma restrição de 24 horas para voos com destino a Tel Aviv de companhias aéreas norte-americanas

John Kerry negocia cessar-fogo em Gaza
Kerry viaja para se reunir com representantes da Palestina, de Israel e da ONU (Foto:Reprodução/Exame)

O Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, viajou para Tel Aviv nesta quarta-feira, 23, a fim de negociar mais uma vez acordo de cessar-fogo na Faixa de Gaza. Kerry partiu do Cairo, onde se reuniu com presidente do país, Abdel Fattan Al Sisi, e com diplomatas.

A viagem ocorreu mesmo após proibição da Administração Federal de Aviação norte-americana, que impôs, a partir da tarde desta terça (22), restrição de 24 horas para voos de companhias aéreas do país com destino a Tel Aviv . O conflito já soma um saldo de mais de 600 mortes em duas semanas, entre palestinos e israelenses.

Em Tel Aviv, Kerry se reunirá com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, com o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, e com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon. O objetivo dos EUA é definir pelo menos os limites de cada lado, o que pode ajudar a dar fim ao conflito.

Fontes:
Exame - Kerry negocia cessar-fogo em Israel

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. jayme endebo disse:

    Não vai adiantar muito esta viagem pois conseguirá um cessar-fogo provisório e daqui a dois anos ou menos teremos mais misseis chegando ao territorio israelense e depois mais revide de Israel. A solução tem que ser a rendição incondicional destes criminosos, Israel tem que acabar de vez com este grupo seja prendendo seus líderes seja eliminando eles. Na história da humanidade não há similaridades em que um conflito seja resolvido através de um stop and go quando uma das partes não aceita em hipótese nenhuma a negociação ou o direito do outro existir.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *