Início » Internacional » Johnson & Johnson é acusada de aumentar vendas de analgésicos nos EUA
SAÚDE

Johnson & Johnson é acusada de aumentar vendas de analgésicos nos EUA

Segundo a acusação, a empresa é responsável por criar a 'pior crise de saúde provocada pelo homem na história do país e do estado'

Johnson & Johnson é acusada de aumentar vendas de analgésicos nos EUA
Segundo o júri, a empresa 'familiar' tem atuado contra a saúde pública (Foto: Flickr/Open Grid Scheduler)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A empresa Johnson & Johnson foi acusada de criar uma “campanha cínica e fraudulenta de lavagem cerebral multimilionária”, a fim de aumentar as vendas de diversos tipos de analgésicos, principalmente opiáceos.

Em um julgamento civil aberto nesta terça-feira, 28, o procurador geral de Oklahoma, Mike Hunter, afirmou que a empresa foi responsável pela “pior crise de saúde provocada pelo homem na história do país e do estado”. Segundo Hunter, esse resultado foi gerado única e exclusivamente pela “ganância” da empresa.

O resultado é referente a testes que foramam monitorados sobre a extensão da responsabilidade de grandes empresas, onde a J&J está lutando contra alegações sobre pressionar médicos a prescreverem remédios, analgésicos e narcóticos, até mesmo para crianças.

Segundo a ação civil, a empresa era fornecedora e fonte de materiais usados para fabricar opióides em empresas subsidiárias localizadas na Austrália, onde cultivavam e refinavam as papoulas para o uso em analgésicos narcóticos.

Esse tipo de medicamento tem provocado uma “epidemia”, que resultou na morte de 400.000 pessoas nos Estados Unidos nas últimas duas décadas.

Segundo o júri, a empresa “familiar” tem atuado contra a saúde pública, lucrando em cada etapa das doenças dos americanos.

A ação de Mike Hunter deve resultar em cerca de mais 2.000 processos civis em outras partes dos Estados Unidos para buscar um acordo com a indústria farmacêutica, a fim de igualar os US$ 246 bilhões pagos por empresas de tabaco à pessoas que tiveram a saúde prejudicada pelo cigarro.

Embora o processo deva ser decidido perante a argumentos legais sobre a extensão da responsabilidade da J & J, o caso também promete oferecer uma visão emocional sobre o impacto humano de uma epidemia.

O tribunal irá ouvir depoimentos de famílias que foram atingidas pelo vício em opiáceos, incluindo de pessoas cujos entes vieram a óbito devido ao mesmo.

Segundo Hunter, uma das divisões farmacêuticas da Johnson & Johnson é responsável por fabricar uma medicação de opióide considerada como uma “pílula mortal de heroína”. O estado acusa a empresa por exagerar sobre os benefícios dos opióides, além de financiar grupos de médicos a prescreverem a medicação.

Mike Hunter entrou com ação contra duas empresas quer afirmaram ter trabalhado para a Johnson & Johnson. Em março deste ano. uma delas concordou em pagar US$ 270 milhões para resolver o caso.

Já a outra empresa se pronunciou apenas na última semana, onde efetuou o pagamento da multa de US$ 85 milhões.

Fontes:
The Guardian - Johnson & Johnson accused of 'cynical, deceitful' bid to drive up painkiller sales

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Roberto Henry Ebelt disse:

    Pode até ser verdade, mas o esquerdista GUARDIAN não é uma fonte confiável.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *