Início » Internacional » Justiça do Japão absolve ex-executivos de Fukushima
ACIDENTE NUCLEAR

Justiça do Japão absolve ex-executivos de Fukushima

Ex-executivos eram acusados de negligência profissional. Críticos apontam que decisão judicial levou em conta a política nuclear do governo de Shinzo Abe

Justiça do Japão absolve ex-executivos de Fukushima
Veredito gerou críticas da sociedade e de órgãos de meio ambiente (Foto: Greg Webb / IAEA)

Um tribunal japonês absolveu nesta quinta-feira, 19, três ex-executivos da Companhia de Energia Elétrica de Tóquio (Tepco) pelo colapso da usina nuclear de Fukushima Daiichi. Os ex-diretores estavam sendo acusados de negligência profissional.

Os promotores alegavam que os então executivos não tinham tomado todas as providências para garantir a segurança das pessoas nos arredores da usina. Isso porque estudos anteriores apresentados aos ex-diretores apontavam para o risco de terremotos e maremotos colapsarem a usina.

Os réus Tsunehisa Katsumata, então presidente da Tepco, e os vice-presidentes Ichiro Takekuro e Sakae Muto, se declararam inocentes, enquanto a defesa alegou que os cálculos apresentados em relatórios não eram confiáveis.

O juiz Kenichi Nagafuchi acatou a alegação dos advogados, afirmando que seria “impossível” administrar uma usina nuclear se “os operadores forem obrigados a prever todas as possibilidades sobre um tsunami e a tomar as medidas necessárias”.

A decisão do tribunal, no entanto, gerou críticas da sociedade e de órgãos especializados em meio ambiente. Um dos motivos foi porque os promotores já tinham rejeitado, em 2013 e 2015, processar criminalmente a Tepco. O processo só foi iniciado em 2016, depois que uma comissão composta por cidadãos revisou as decisões dos promotores e ordenou que elas fossem revertidas.

Ex-moradores de Fukushima prometeram continuar brigando na justiça para que os responsáveis pela usina nuclear sejam responsabilizados pela negligência. Em meio às lágrimas, algumas pessoas, que acompanharam a decisão do tribunal, apontavam que o veredito tinha sido tendencioso.

Analistas acreditam que a decisão judicial vai dificultar ainda mais que alguém seja responsabilizado criminalmente pelo colapso de Fukushima, ocorrido em 2011. Ademais, o veredito favorável aos ex-executivos também foi visto como uma vitória para o governo do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. Isso porque Abe é favorável à exploração de energia nuclear. Tanto que algumas usinas nucleares, que tinham sido fechadas depois do colapso de Fukushima, já foram reabertas.

Shaun Burnie, especialista sênior em energia nuclear da ONG Greenpeace, condenou a decisão do tribunal. Para Burnie, a justiça japonesa falhou em defender os direitos das pessoas que foram afetadas pelo colapso nuclear.

“Um veredicto de culpado teria sido um golpe devastador não apenas para a Tepco, mas também para o governo Abe e para a indústria nuclear japonesa. Portanto, talvez não seja uma surpresa que o tribunal não tenha decidido com base nas evidências. […] Mais de oito anos após o início dessa catástrofe, a Tepco e o governo ainda evitam ser responsabilizados por suas décadas de ignorância da ciência dos riscos nucleares”, destacou Burnie, através de um comunicado.

A promotoria ainda não sabe se vai recorrer da decisão judicial. No entanto, o advogado Shozaburo Ishida, de acusação, também destacou que o veredito levou em consideração a posição nuclear do governo de Shinzo Abe.

“A decisão diz que segurança absoluta não é um requisito. Isso é impensável. Se você acredita que um acidente nuclear nunca deveria acontecer, não entregaria este tipo de decisão”, afirmou ele, segundo noticiou a emissora japonesa NHK

O colapso de Fukushima Daiichi foi o pior desde o desastre nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986. O terremoto de magnitude 9, seguido pelo maremoto, custou a vida de 18 mil pessoas em 2011. Já o colapso da usina nuclear japonesa obrigou o deslocamento de 160 mil pessoas – durante a retirada, 44 pacientes acamados em um hospital próximo morreram.

Leia também: Japão pode despejar água radioativa no Oceano Pacífico

Fontes:
The New York Times-Fukushima Nuclear Disaster Trial Ends With Acquittals of 3 Executives
Agência Brasil-Justiça do Japão absolve 3 ex-executivos da Usina Nuclear Fukushima 1
The Washington Post-Eight years after Fukushima nuclear disaster, Japanese court acquits trio of negligence over meltdown

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *