Início » Internacional » Justiça na Rússia: o caso Navalny
Julgamento político

Justiça na Rússia: o caso Navalny

A condenação de Alexei Navalny parece provável, mas seus efeitos são incertos

Justiça na Rússia: o caso Navalny
Exército de jornalistas desembarcou em Kirov para o maior julgamento político da temporada (Fonte: Reprodução/Reuters)

Kirov, cidade a 900 km a leste de Moscou, não é conhecida por suas atrações. Ela foi o local do exílio de Alexander Herzen, um revolucionário do século 19. No dia 17 de abril, um exército de jornalistas desembarcou em Kirov para o maior julgamento político da temporada. No papel principal estava Alexei Navalny, um popular blogueiro anticorrupção e figura da oposição que tinha seguidores quase religiosos entre a classe média que utiliza a internet na Rússia.

Nos últimos três anos ele uniu diferentes campos, forçando o Kremlin a responder às suas campanhas anticorrupção e à sua crescente popularidade. O caso contra Navalny é parte dessa resposta. Ele é acusado de desviar US$ 500 milhões de uma companhia madeireira estatal durante o período em que foi conselheiro do governador de Kirov.

O caso começou há dois anos, mas os promotores locais encerraram o caso. Então, Alexander Bastrykin, investigador federal chefe da Rússia, ordenou que fosse reaberto. O fato de que a companhia da qual a madeira foi roubada foi ressarcida e que Navalny não teve nenhum papel comprovado na transação parecem ser apenas detalhes.

O caso foi adiado por uma semana, mas Navalny tem poucas dúvidas sobre se será condenado. A questão agora é: se ele receberá uma sentença de até dez anos, ou uma sentença suspensa que poderia se tornar real se ele for politicamente ativo. Desde que Navalny contou a um canal de televisão na internet que ele quer ser presidente e que faria qualquer coisa em seu poder para colocar Vladimir Putin e seus asseclas na cadeia, as máscaras caíram.

* Texto adaptado e traduzido da Economist por Eduardo Sá

Fontes:
The Economist - Justice in Russia: The Navalny affair

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Carlos U. Pozzobon disse:

    Isso aí cheirou à velha URSS.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *