Início » Internacional » Kerry faz visita histórica ao Memorial de Hiroshima
VISITA HISTÓRICA

Kerry faz visita histórica ao Memorial de Hiroshima

Museu fica no lugar onde os Estados Unidos jogaram sua primeira bomba atômica, em 6 de agosto de 1945

Kerry faz visita histórica ao Memorial de Hiroshima
Kerry e outros ministros das relações Exteriores do G7 visitaram o Memorial de Hiroshima (Foto: Wikimedia)

Nesta segunda-feira, 11, o secretário de Estado americano, John Kerry, fez uma visita histórica ao Memorial de Hiroshima, no Japão, com os demais ministros das Relações Exteriores do G7. O museu fica no lugar onde os Estados Unidos jogaram sua primeira bomba atômica, em 6 de agosto de 1945, durante a Segunda Guerra Mundial, para forçar a rendição do japoneses.

Kerry não fez nenhum pedido de desculpas em nome dos Estados Unidos, mas tanto ele como os outros ministros defenderam o desarmamento nuclear e criticaram as tentativas de grupos terroristas de conseguir armas químicas e explosivos nucleares.

O americano disse não saber se Barack Obama vai a Hiroshima em sua visita ao Japão no próximo mês.

O secretário criticou implicitamente um dos discursos do pré-candidato republicano Donald Trump, no qual ele disse que o Japão e a Coreia do Sul deveriam ter armas nucleares para se defender dos movimentos agressivos da Coreia do Norte. “É por isso que qualquer sugestão de qualquer candidato de que deveríamos construir mais armas e dá-las para países como Coreia ou Japão é um absurdo”, disse.

 

 

Fontes:
The Washington Post-Kerry makes ‘gut-wrenching’ visit to where U.S. first dropped atomic bomb in Hiroshima
Reuters-Kerry plans no apology for wartime atomic bomb on Hiroshima visit

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Ludwig Von Drake disse:

    Não há porque pedir desculpas, os americanos cumpriram todos os tratados de guerra previstos na Convenção de Genebra. Os japoneses é que não cumpriram.
    Está na História que Hirohito pediu desculpas no final da Guerra, MacArthur se recusou a aceita-las.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *