Início » Internacional » Leis antiterrorismo ameaçam ajuda humanitária na Somália
CRISE DE FOME

Leis antiterrorismo ameaçam ajuda humanitária na Somália

Agentes suspendem entrega de suprimentos vitais por temor de serem considerados aliados de grupos extremistas

Leis antiterrorismo ameaçam ajuda humanitária na Somália
Mulheres e crianças esperam por ajuda humanitária em Dolo, sul da Somália (Foto: WFP/David Orr)

As rígidas leis de combate ao terrorismo dos Estados Unidos e do Reino Unido estão desestimulando organizações humanitárias a fornecer suprimentos vitais para milhões de pessoas afetadas pela fome e por doenças fatais na Somália.

A Somália é um dos quatro países apontados pela ONU como à beira de um desastre humanitário, resultante da combinação de seca, falta de alimentos e conflitos civis. Os outros três países são: Iêmen, Sudão do Sul e Nigéria.

Leia mais: Crise de fome sem precedentes ameaça quatro países

Segundo agentes humanitários, as leis de combate ao terrorismo britânicas e americanas limitam a ação das organizações. Isso porque elas englobam qualquer pessoa ou organização considerada culpada por fornecer ajuda material a grupos terroristas. Tal fato desencoraja a entrega de alimentos e suprimentos de necessidades básicas a milhares de pessoas que vivem em áreas dominadas por militantes do Estado Islâmico e do al Shabab, uma ramificação da al Qaeda.

Os agentes temem ser enquadrados nas leis de combate ao terrorismo, já que é quase impossível garantir que nenhuma parte da ajuda lançada por aviões cairá nas mãos dos jihadistas. Se forem enquadrados, podem enfrentar julgamentos e condenações. Tal fato desestimula o trabalho nesses locais. O envio de ajuda humanitária por terra envolve o pagamento de “taxas” para diferentes grupos armados que bloqueiam estradas e só permitem a passagem mediante pagamento.

A Somália enfrenta sua pior seca em 40 anos. A falta de água levou a uma severa escassez de alimentos que hoje ameaça matar de inanição 6 milhões de pessoas. Grande parte dos afetados (cerca de 2 milhões de somalis) vivem sitiados em regiões controladas por grupos extremistas.

Fontes:
The Guardian-Anti-terrorism laws have ‘chilling effect’ on vital aid deliveries to Somalia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *