Início » Internacional » Líderes pró-democracia são presos em Hong Kong
ONDA DE PROTESTOS

Líderes pró-democracia são presos em Hong Kong

Prisão ocorre às vésperas de ato em homenagem aos cinco anos da Revolução dos Guarda-Chuvas. Governo local nega que a prisão seja tática para sufocar o ato

Líderes pró-democracia são presos em Hong Kong
Agnes Chow falou com a imprensa após ser liberada (Foto:RTHK)

Pelo menos cinco proeminentes ativistas políticos de Hong Kong foram detidos entre a noite da última quinta-feira, 29, e a manhã desta sexta-feira, 30. A prisão ocorre às vésperas da manifestação em homenagem aos cinco anos da Revolução dos Guarda-Chuvas, ocorridaem 2014.

Entre os principais nomes estão Joshua Wong e Agnes Chow, dois dos principais rostos da Revolução dos Guarda-Chuvas. Wong e Chow foram libertados pela polícia após o pagamento de fiança, mas continuarão sob investigação. A polícia nega que as detenções sejam uma forma de sufocar as manifestações.

“Estamos furiosos com a prisão em larga escala no dia anterior a 31 de agosto. É completamente ridículo que a polícia vise figuras proeminentes específicas do movimento social no passado e as enquadre como os líderes do projeto de lei anti-extradição. Os protestos de 12 semanas são reconhecidos como sem liderança”, escreveu Wong nas redes sociais.

De acordo com Wong, ele foi processado por incitar os protestos, participar de assembleias não autorizadas e protestar fora do quartel general da polícia. Essa foi a segunda vez que o ativista foi preso em 2019. Anteriormente, Wong passou quase dois meses na cadeia por desacato.

Uma grande manifestação havia sido convocada para o próximo sábado, 31, quando completam cinco anos da Revolução dos Guarda-Chuvas. Na época, milhares de cidadãos de Hong Kong foram às ruas pedindo eleições livres de interferência da China. A ocupação do distrito financeiro da cidade durou 79 dias.

Agora, à medida que as manifestações em Hong Kong continuam, o movimento Frente Civil de Direitos Humanos (FCDH), havia convocado a manifestação do próximo sábado. No entanto, as autoridades proibiram o protesto, alegando questões de segurança. Com medo de repressão, a FCDH cancelou a manifestação.

No entanto, acredita-se que outro protesto, menor do que a manifestação oficial, pode ser feito pela população radical mais jovem. Enquanto isso, outros ativistas pró-democracia planejam alternativas para a manifestação, como uma partida de futebol ou uma concentração improvisada.

Desde junho, quando as manifestações contra a lei de extradição para a China se intensificaram, a polícia já deteve mais de 900 pessoas. De acordo com analistas, é comum que as autoridades chinesas utilizem as detenções de líderes de movimentações para sufocar os protestos, mas a prática é incomum em Hong Kong.

O atual movimento em Hong Kong, ao contrário do que ocorreu há cinco anos, ganhou notoriedade por não ter líderes identificáveis. Além de Wong e Chow, também foram detidos Andy Chan, fundador do Partido Nacional – legenda que foi banida em 2018; Rick Hui, membro do conselho do bairro Sha Tin; e a ex-líder estudantil Atlhea Suen.

Leia também: Google bane contas no YouTube por fake news sobre Hong Kong
Leia também: As raízes da insatisfação em Hong Kong

Fontes:
The New York Times-Hong Kong Arrests Joshua Wong and Other Activists Before Anniversary
Folha de São Paulo-Ativistas pró-democracia são presos em Hong Kong na véspera de protesto proibido
DW-Lideranças pró-democracia são presas em Hong Kong

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *