Início » Internacional » Lufthansa omitiu depressão de copiloto
Caso Germanwings

Lufthansa omitiu depressão de copiloto

Companhia aérea alemã omitiu os transtornos psíquicos enfrentados pelo copiloto que aparentemente atirou um avião contra os Alpes franceses

Lufthansa omitiu depressão de copiloto
Destroços do avião da Germanwings nos Alpes franceses (Fonte: Reprodução/Reuters)

O jornal alemão Die Welt publicou neste fim de semana que a companhia aérea alemã Lufthansa, proprietária da Germanwings, omitiu os transtornos psíquicos enfrentados pelo copiloto que aparentemente atirou um avião contra os Alpes franceses no último dia 24 de março.

Leia também: Equipes de busca encontram segunda caixa-preta do avião da Germanwings
Leia também: Seguradoras da Germanwings terão que pagar US$ 300 milhões em indenizações

Segundo o jornal, a Lufhansa não informou ao Departamento de Tráfego Aéreo da Alemanha (LBA, na sigla em alemão) que em 2009 Andreas Lubitz voltou ao treinamento da empresa depois de supostamente ter se recuperado de um quadro de depressão grave.

Uma lei de 2013 obriga as companhias aéreas alemães a informarem a LBA sobre casos de transtornos psíquicos graves enfrentados pelo pessoal de bordo.

Entretanto, ainda segundo o Die Welt, as atas médicas do Aeromedical Center da Lufthansa onde consta o histórico de Lubitz só chegaram às mãos da LBA no dia 27 de março, três dias depois da tragédia com o voo que tinha partido de Barcelona com destino a Düsseldorf.

Fontes:
Portal Exame - Lufthansa não informou sobre transtornos de copiloto

1 Opinião

  1. olbe disse:

    Primeiro, dizer que ele tinha Depressão coloca todo cidadão que eventualmente teve depressão como uma pessoa de risco.Vai criar preconceito e cada vez mais as pessoas vão esconder que tem depressão. Isto não é verdade. Isto não acontece com o deprimido grave, ele se mata mas não mata outros…Ele era um paranóico, um doente grave mental..O que ele fez, a gente pode deduzir, foi pq sabia que ia ser demitido pq no exame de vista não seria aprovado. Ele sabia que sua carreira já estava encerrada e quis se vingar da “injustiça”que a vida estava preparando para ele.Se ele não estivesse dentro da avião, com certeza teria se explodido talvez dentro da Empresa ou comprado uma passagem em qualquer avião e feito a mesma coisa. Ele planejou tudo como uma pessoa doente mas que sabe exatamente o que está fazendo…Ninguém tem culpa, este tipo de procedimento é quase impossível de ser evitado…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *