Início » Cultura » Lugares improváveis: Museus em Nova York que nem todo mundo conhece, mas deveria
Turismo

Lugares improváveis: Museus em Nova York que nem todo mundo conhece, mas deveria

Confira um roteiro para passear pelos museus de Nova York

Lugares improváveis: Museus em Nova York que nem todo mundo conhece, mas deveria
Tenement Museum: um dos museus em Nova York que ainda nem todo mundo conhece na cidade. Foto: Divulgação
Tenement Museum: um dos museus em Nova York que ainda nem todo mundo conhece na cidade. Foto: Divulgação

Tenement Museum: um dos museus em Nova York que ainda nem todo mundo conhece na cidade. Foto: Divulgação

Existem diversos museus em Nova York que todo mundo conhece e provavelmente coloca na lista de atrações obrigatórias para ver na cidade, como Metropolitan, Museu de História Natural, o MoMa, o Guggenheim, etc. Porém Nova York conta com mais uma dezena de museus não tão conhecidos assim, mas que merecem uma visita tanto quanto os mais tradicionais.

Nessa temporada na cidade tive a chance de conhecer alguns desses museus “ainda pouco conhecidos” mas que me surpreenderam de uma maneira tão grande que não podia deixar de dar a dica aqui no blog. De cinema, arte do leste europeu, arranha céus e sobre a história dos imigrantes de Nova York, esses museus abrem a nossa mente do quanto a cidade tem a oferecer quando o assunto é cultura e história.

Museus em Nova York “desconhecidos” para se conhecer:

1-) The Cloisters

Imagine um castelo medieval, de verdade, em Nova York.. Já pensou? Nunca ouviu falar? Pois é, o The Cloisters é um museu medieval em Nova York, localizado no extremo norte de Manhattan. Talvez seja pela distancia, talvez por poucas pessoas imaginarem esse tipo de arte numa cidade tão moderna como Nova York, mas o The Cloisters está lá e é totalmente surpreendente.

Vista linda e bucólica do The Cloisters, você quase esquece que está em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Vista linda e bucólica do The Cloisters, você quase esquece que está em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Primeiro, porque a construção do museu foi baseada em cinco castelos franceses existentes e usando o próprio acervo, criou-se uma espécie de castelo ideal para expor toda coleção medieval que estava até então no Museu Metropolitan. Segundo, porque além de coleção imensa e impressionante (até para padrões de museus europeus), a localização dele é fantástica: às margens do rio Hudson, com uma visão linda, inesperada e quase rural de Nova York. Realmente não parece que você está na cidade…

Arte medieval no The Cloisters em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Arte medieval no The Cloisters em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

O museu é tão incrível e legal que já até ganhou um post exclusivo dele aqui no Vambora! O valor para entrada é sugerido, ou seja, paga-se quanto quiser, e com a entrada no The Cloisters, você pode visitar no mesmo dia o Metropolitan (ou vice versa), algo bem legal mas que não recomendo, seja pelo tamanho dos museus, seja pela distancia dos dois, acaba não valendo a pena. Vale dedicar bastante tempo (diga-se boa parte do dia), tanto para um, quanto para o outro. Para mais informações e como chegar: http://www.metmuseum.org/visit/visit-the-cloisters

2-) Tenement Museum

Um museu que não parece um museu, mas na verdade um túnel do tempo (de 1900 para menos) onde Nova York não era assim tão glamorosa…O Tenement Museum deve ser um dos museus em Nova York mais surpreendentes e instigantes, exatamente por não ser um museu no conceito que normalmente conhecemos.

Tenement Museum no Lower East Side em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Tenement Museum no Lower East Side em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Localizado no Lower East Side, ele é formado por diversos apartamentos, num antigo edifício do bairro (o nº 97, da Orchard St) no qual foram reproduzidos os ambientes em que as famílias de imigrantes (italianos, alemães, irlandeses, judeus) viviam em Nova York no século XIX. Para visitar os ambientes é preciso escolher um tour, cada um focado numa dessas famílias. Por exemplo, o tour que fiz foi o “Hard Times”, que mostra como os imigrantes de duas famílias distintas (uma judaica e outra italiana) sobreviveram a grande depressão econômica nos Estados Unidos, entre 1863 e 1935. No site do museu é possível ver todos os tours disponíveis.

Como viviam de verdade os imigrantes de Nova York no Tenement Museum. Foto: Divulgação

Como viviam de verdade os imigrantes de Nova York no Tenement Museum. Foto: Divulgação

O ambiente, bem como objetos e histórias (contadas durante a visita por um guia), são todas reais, assim parece mesmo que você está voltando no tempo. Os ingressos custam U$ 25 (U$ 20 para estudantes e idosos) e vale a pena comprar com pelo menos 1h de antecedência (seja pessoalmente, seja online), já que os grupos de cada tour são pequenos. As visitas duram em média 1 hora. Para mais informações e como chegar: http://www.tenement.org

Obs 1: Pela proximidade, é extremamente recomendável ir antes ou depois da visita ao museu, comer no Katz’s Deli, para mim (e muitas pessoas), um dos melhores sanduíches de Nova York. O endereço é tão clássico e vale tanto a visita, que também já ganhou um post exclusivo aqui no blog (veja aqui).

Obs 2: É uma pena, mas não se pode tirar fotos de dentro dos apartamentos, apenas das fachadas.

Obs 3: A lojinha do museu (onde inclusive pode se comprar ingressos também) é muito fofa, cheio de objetos e souvenir nada óbvios de Nova York. Quem quer dar uma lembrança diferente, vale passar por lá, nem que seja um pouquinho.

3-) Neue Galerie

De todos os museus dessa lista, a Neue Galerie talvez seja o mais “conhecido”, entre esses “museus desconhecidos”. Localizado perto do Central Park e do Metropolitan Museum, é focado emarte e design da Áustria e Alemanha do início do século XX. Parece muito específico, mas na verdade guarda boas surpresas e raridades de grandes artistas, sendo o principal (e motivo essencial da visita), o austríaco Gustav Klimt, autor de obras famosas como essa abaixo:

Neue Galerie com as obras de Gustav Klimt. Fotos: Divulgação

Neue Galerie com as obras de Gustav Klimt. Fotos: Divulgação

É lindo, uma casa pequena, que só de entrar já remete essa volta a um passado europeu. E para completar o motivo da visita, guarda também uma surpresa gastronômica: os cafés Sabarasky e Fiedermaus, ambos inspirados nos cafés vienenses. O primeiro, no andar térreo, é com ambiente mais clássico, formal e também mais cheio; o segundo no subsolo é mais casual e menos cheio, porém ambos tem o mesmo cardápio. Para quem nunca comeu, não dá para sair de lá sem experimentar a famosa torta vienense Sachertorte, com chocolate meio amargo e damasco, não é barato, mas vale a pena…

O valor do ingresso é U$ 20 ( U$ 10 para estudantes e idosos) e como no anterior, fotos não são permitidas (apenas no térreo e área dos cafés). Para mais informações: http://www.neuegalerie.org

4-) Skyscraper Museum

Ironicamente o menor museu dessa lista fala sobre os prédios mais altos de Nova York: seus arranha céus! O espaço moderno, bem ao sul de Manhattan, no Battery Park, mostra um pouco a história e o futuro dos grandes edifícios do mundo, em especial os de Nova York que acabaram transformando a imagem da cidade. Para quem gosta de arquitetura e design é especialmente interessante pela quantidade e qualidade das maquetes, fotos e projetos apresentados.

O pequeno porém moderno Skyscraper Museum em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

O pequeno porém moderno Skyscraper Museum em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Interessante também por exibir uma parte especial sobre o World Trade Center, desde o projeto original, a sua construção, a queda das torres em 2001 e o projeto de construção do novo edifício. A entrada custa $ 5 ($ 2,50 para idosos e estudantes). Para mais informações: http://skyscraper.org

Imagem de Nova York no início da era dos grande arranha céus. Reprodução: Skyscraper Museum

Imagem de Nova York no início da era dos grande arranha céus. Reprodução: Skyscraper Museum

5-) Museum of Moving Image

O Museum of Moving Image é um templo para adoradores de cinema, design, arte e televisão, localizado no Queens (bem fácil e rápido de chegar via metrô de Manhattan) e de verdade, não esperava que fosse gostar tanto desse museu em Nova York.

O mundo do cinema e televisão no Museum of Moving Image em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

O mundo do cinema e televisão no Museum of Moving Image em Nova York. Foto: GC/Blog Vambora!

Andando pela vizinhança bairrista do Queens, você se surpreende ao chegar em frente ao Moving Image e dar de cara com um espaço tão contemporâneo. Lá é contada a história de toda “imagem que se move”, seja para cinema, televisão e até obras de arte, das mais antigas até as mais modernas.

Todo o espaço do museu é bem moderno. Foto: GC/Blog Vambora!

Todo o espaço do museu é bem moderno. Foto: GC/Blog Vambora!

Tudo que envolve o processo de criar filmes, desde as câmeras, até cenografia, vestuário, edição, dublagem, protótipos, miniaturas, maquiagem, os atores, tudo, absolutamente tudo está exposto por lá. Com muita interação, posso dizer que os pontos altos do museu são as salas de exibição de filmes, a sala em que você mesmo pode inserir sua voz em cenas de filmes clássicos (como Mágico de Oz, Noviça Rebelde)e ver de perto originais famosos como Mestre Yoda, a menina do exorcista e muitos outros. É realmente muito, mas muito legal mesmo! Dica boa para quem viaja para Nova York com adolescentes e crianças.

Personagens clássicos para ver de perto. Fotos: GC/Blog Vambora!

Personagens clássicos para ver de perto. Fotos: GC/Blog Vambora!

A entrada custa $12 ( $9 estudantes e idosos) e como no Tenement Museum, não deixe de passar na lojinha no final: há diversos objetos e livros relacionados a industria do cinema e televisão que você não acha sempre por ai…Para mais informações: http://www.movingimage.us

E então, depois de ver todas essas opções, Vambora sair do usual e conhecer também esses museus em Nova York? Opções legais e para se surpreender você viu que não faltam..

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *