Início » Internacional » Macron renuncia à futura aposentadoria presidencial
PENSÃO VITALÍCIA

Macron renuncia à futura aposentadoria presidencial

Decisão foi anunciada em meio a protestos contra a reforma da Previdência da França

Macron renuncia à futura aposentadoria presidencial
O atual presidente é o primeiro a renunciar à aposentadoria vitalícia na França (Fonte: Reprodução/Wikimedia Commons)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente francês, Emmanuel Macron, renunciou antecipadamente à aposentadoria vitalícia que teria direito ao fim do seu mandato. A decisão foi anunciada em meio a protestos contra a reforma da Previdência da França.

O valor da pensão vitalícia é de cerca de 6,2 mil euros por mês, ou o equivalente a R$ 28,2 mil. O benefício está previsto em uma lei francesa de 1955.

Macron, que tem 42 anos, teria direito a receber esse valor em maio de 2022, ao fim do seu atual mandato, ou em 2027, caso fosse reeleito.

O atual presidente é o primeiro a renunciar à aposentadoria vitalícia na França. O governo de Emmanuel macron quer acabar com esse benefício. Tal medida faria parte da atual proposta de reforma da Previdência.

Entre os itens incluídos na proposta de reforma da Previdência estão a redução de privilégios de determinadas categorias profissionais, como a dos funcionários da estatal ferroviária SNCF e da rede de metrô parisiense.


Fontes:
G1 - Macron abre mão de futura aposentadoria como ex-presidente da França

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Júlio César Cardoso disse:

    Exemplo de dignidade e respeito com o Erário francês. O que demonstra que o presidente da França não se elegeu para tirar vantagem da coisa pública. Aqui no Brasil, o presidente Bolsonaro deveria revogar a lei que ampara os ex-presidentes a dispor de oito servidores de sua livre escolha para os serviços de segurança e apoio pessoal (4), assessoria (2) e motorista (2). Dois carros oficiais também são disponibilizados para ele.
    Toda essa pouca vergonha existe porque os eleitores em geral são acomodados e não contestam nos canais competentes. Quem aqui já contestou alguma vez sobre essa imoralidade?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *