Início » Internacional » Madrid aprova intervenção; Catalunha oficializa independência
DIA DE INCERTEZA

Madrid aprova intervenção; Catalunha oficializa independência

Governo espanhol obteve autorização do parlamento para intervir na Catalunha; horas depois, parlamento catalão oficializou a independência da região

Madrid aprova intervenção; Catalunha oficializa independência
Catalães se reúnem em frente ao parlamento da região autônoma (Foto: Fotomovimiento)

A Espanha vive um dia de incerteza nesta sexta-feira, 27. O governo central de Madrid obteve autorização do parlamento para intervir na Catalunha, através do acionamento do artigo 155 da Constituição de 1978, que autoriza a intervenção em regiões autônomas para que estas cumpram seu dever de prezar pela unidade espanhola.

Horas depois, o parlamento catalão declarou oficialmente a independência da região, cujos efeitos estavam suspensos desde o referendo do início do mês, para, segundo o presidente catalão, Carles Puigdemont, não atrapalhar o diálogo com Madrid.

A presidente do parlamento catalão, Carme Forcadell, declarou que a medida é uma resposta ao movimento de Madrid. “Em virtude do que se acaba de expor, constituímos a república catalã, como Estado independente e soberano, de direito, democrático e social”, disse Forcadell.

É a primeira vez na história da Espanha que o artigo 155 é acionado. Ele determina a destituição do presidente catalão e seu vice, a restrição dos poderes do parlamento catalão, a intervenção em todos os órgãos e serviços da região e a convocação de novas eleições em um prazo de seis meses.

Após a aprovação da intervenção, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, fez um discurso pedindo calma a todos no país e afirmando que a intervenção é fruto de “um processo continuado de decisões antidemocráticas” da Catalunha.

“Peço tranquilidade a todos os espanhóis. O Estado de direito vai restaurar a legalidade na Catalunha. […] Chegou o momento que se imponha a lei acima de toda a consideração, não contra a Catalunha, mas para impedir que se abuse da Catalunha. Não para suspender a autonomia, mas para consolidá-la. O que ameaça hoje a Catalunha não é o 155, mas a atitude do Governo da Generalitat (nome oficial do governo catalão). Do que se tem que salvar a Catalunha não é de um artigo constitucional, mas dos estragos que causam condutas anticonstitucionais”, disse Rajoy.

As medidas tomadas tanto pelo governo de Madrid quanto pelo governo catalão indicam que o impasse entre Espanha e Catalunha chegou ao ápice e as próximas horas prometem ser decisivas para ambos os lados.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *