Início » Internacional » Maior barragem do Iraque corre risco de romper
RISCO IMINENTE

Maior barragem do Iraque corre risco de romper

Falta de manutenção compromete barragem de Mossul, a maior do Iraque. Se a instalação romper, pode matar até 500 mil pessoas e deixar mais de 1 milhão desabrigados

Maior barragem do Iraque corre risco de romper
Deterioração gerada pela falta de manutenção compromete a infraestrutura da barragem (Foto: Wikimedia)

Mais de 16 meses após forças iraquianas e curdas retomarem do Estado Islâmico (Isis) o controle da barragem de Mossul, a maior do Iraque, a instalação agora enfrenta uma nova ameaça: a deterioração gerada pela falta de manutenção que pode romper a barragem inundando toda a região próxima.

Segunda estimativas do Departamento de Estado americano, na pior das hipóteses, o colapso da barragem poderia matar cerca de 500 mil pessoas e deixar 1 milhão de desabrigados. Na semana passada, o presidente dos EUA, Barack Obama, chamou atenção para a necessidade de reparos urgentes na instalação em uma conversa telefônica com o primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi.

Temendo que os reparos não ocorram no tempo necessário, oficiais do governo americano vêm alertando cidadãos de Mossul, até mesmo os que vivem em regiões ainda dominadas pelo Isis, sobre quais precauções tomar e para onde fugir, caso a barragem se rompa.

O reparo da barragem esbarra em dois obstáculos. O primeiro é o desfio estrutural que representa reforçar uma barragem construída sobre frágeis alicerces de gesso, rocha calcária e argila.

O segundo obstáculo é político. O pedido americano por reparos ocorre em um momento que Abadi luta contra o orçamento escasso do país, combate o Isis e enfrenta milícias xiitas que veem nas propostas de Washington uma conspiração para expandir a influência ocidental no Iraque.

A empresa italiana Trevi Group já demonstrou interesse em fazer as obras de reparo, orçadas em US$ 380 milhões e vem negociando com o governo iraquiano. No último domingo, 10, o embaixador do Iraque nos EUA, Lukman Faily, disse que o governo de seu país entende os riscos do rompimento da barragem e que pretende continuar as negociações com a companhia italiana.

Fontes:
The New York Times-Neglect May Do What ISIS Didn’t: Breach Iraqi Dam

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *