Início » Internacional » Mais de 5 mil foram presos na Venezuela desde abril, diz ONU
DENÚNCIA

Mais de 5 mil foram presos na Venezuela desde abril, diz ONU

ONU também denunciou o uso de força excessiva contra manifestantes no país

Mais de 5 mil foram presos na Venezuela desde abril, diz ONU
Venezuela enfrenta uma grave crise econômica e política (Fonte: Reprodução/Reuters)

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, 8, o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad al Hussein, afirmou que 5.051 pessoas foram presas na Venezuela desde abril, quando se iniciou a nova onda de protestos contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

Leia também: Rebelião em base militar aumenta tensão na Venezuela
Leia também: Venezuela é suspensa do Mercosul por ‘ruptura da ordem democrática’

De acordo com Zeid Ra’ad al Hussein, mais de mil pessoas continuam detidas na Venezuela. A ONU também denunciou o uso de força excessiva contra manifestantes.

“As entrevistas realizadas a distância […] sugerem que na Venezuela tem acontecido um uso generalizado e sistemático de força excessiva e detenções arbitrárias contra os manifestantes. Milhares de pessoas foram detidas arbitrariamente, muitas delas foram vítimas de maus-tratos e inclusive de torturas”, ressaltou o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos.

A agência de notícias Reuters informou que as mortes de 124 pessoas estão sendo investigadas no país, que enfrenta atualmente uma grave crise econômica e política.

Chanceleres de países da América Latina, incluindo Brasil, Chile, Peru, México, Colômbia, Argentina, Paraguai, Uruguai e Costa Rica, vão se reunir nesta terça-feira, 8, em Lima, no Peru, para discutir a situação venezuelana. O ministro das Relações Exteriores do Chile, Heraldo Muñoz, ressaltou que “o futuro da Venezuela tem que ser resolvido pelos próprios venezuelanos, mas os países da região têm o papel de colaborar para encontrar essa solução, ainda que seja difícil”.

Fontes:
G1 - ONU denuncia uso de força excessiva e diz que mais de 5 mil foram presos na Venezuela

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *