Início » Internacional » Mais três mortes em confrontos na Venezuela elevam o número de vítimas fatais para 25
Protestos na Venezuela

Mais três mortes em confrontos na Venezuela elevam o número de vítimas fatais para 25

Protestos pró e contra o governo de Maduro, em Caracas, deixaram mais três mortos nesta quarta-feira. Agitação no país já matou 25, feriu 300 e levou à prisão de mais de 1.300 pessoas

Mais três mortes em confrontos na Venezuela elevam o número de vítimas fatais para 25
Manifestantes anti-governo impedem a passagem do tráfego em uma rua de Caracas nesta quarta (Reprodução/Reuters)

Novos confrontos entre manifestantes e soldados venezuelanos deixaram mais três mortos nas ruas de Caracas, capital do país, nesta quarta-feira, 13, aumentando o número de vítimas fatais para 25 desde o começo dos protestos contra o governo socialista de Nicolás Maduro, há um mês.

Leia também: Posse de Bachelet é ofuscada pela crise na Venezuela
Leia mais: Poderia o Brasil mediar a crise na Venezuela?

Milhares de partidários e adversários do presidente foram às ruas da capital nesta quarta para marcar um mês desde o primeiro protesto terminar em morte no país. A confusão começou quando soldados da Guarda Nacional bloquearam a passagem dos manifestantes da oposição, impedindo que deixassem a Plaza Venezuela rumo a um prédio do governo. Estudantes atiraram pedras e coquetéis molotov, enquanto as forças de segurança dispararam gás lacrimogêneo e canhões de água sobre os manifestantes.

As 25 mortes incluem pessoas de ambos os lados do confronto. Dos mais de 1.300 presos desde o início das manifestações, no início de fevereiro, 92 ainda permanecem detidas, entre os quais 14 agentes de segurança suspeitos de cometer atos de violência e causar mortes em comícios. Até agora, mais de 300 pessoas ficaram feridas.

Apesar dos protestos na Venezuela não terem a dimensão das manifestações que tomaram o Brasil, a Ucrânia e o Oriente Médio recentemente, os manifestantes na Venezuela compartilham uma lista semelhante de queixas e causas. Alguns querem que Maduro renuncie. Todos se queixam da alta taxa de criminalidade, da inflação e da escassez de produtos básicos.

Ministros das Relações Exteriores de países membros da Unasul se reuniram  no Chile na quarta-feira e emitiram uma declaração condenando a violência na Venezuela, incitando o diálogo, mas defendendo o governo ‘eleito democraticamente da nação irmã”.

 

Fontes:
Reuters - Three more killed in Venezuela unrest, students battle troops

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. olbe disse:

    Agora, depois do apoio desastroso dos países da America do sul, o IMATURO da Venezuela, vai se sentir mais dono da situação, infelizmente…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *