Início » Internacional » Mão de obra temporária avança nos Estados Unidos
MERCADO DE TRABALHO

Mão de obra temporária avança nos Estados Unidos

O crescente uso de trabalhadores temporários nos Estados Unidos tem aspectos negativos

Mão de obra temporária avança nos Estados Unidos
O aumento do trabalho temporário mal remunerado também afeta os funcionários efetivos (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O uso de mão de obra em trabalhos temporários nos Estados Unidos surgiu depois da Segunda Guerra Mundial, quando as empresas Manpower e Kelly Girl Service começaram a oferecer serviços de pessoas com conhecimento de tarefas de escritório por tempo determinado. No início, havia cerca de um milhão de trabalhadores temporários no país. Hoje, as empresas e a indústria empregam aproximadamente 2,9 milhões de pessoas, mais de 2% da força de trabalho total dos EUA.

Desde o começo da recuperação econômica do país em 2009, o emprego temporário tem sido responsável por quase um em cada dez novos postos de trabalho. Mas com o crescimento desse tipo de contrato de prestação de serviços, a qualidade dos empregos deteriorou-se. Segundo as estatísticas do governo, os trabalhadores temporários ganham de 20% a 25% menos por hora do que os contratados por tempo indeterminado em funções semelhantes. Além disso, poucos têm seguro de saúde e planos de aposentadoria.

O aumento do trabalho temporário mal remunerado também afeta os funcionários efetivos. Muitos dos custos que os empregadores de trabalhadores temporários tentam evitar, como seguro de saúde, agora são cobertos em parte pelos contribuintes com o pagamento dos gastos crescentes com os benefícios sociais. Em alguns casos, o trabalho temporário reduz os salários dos funcionários efetivos.

Nos estados onde menos de 2% da força de trabalho foi contratada por intermédio das agências de empregos temporários em 2000, os salários dos funcionários contratados por tempo indeterminado aumentou em média 3% por ano entre 2000 e 2015. Por sua vez, os salários subiram apenas 2,6% ao ano nos estados com uma proporção maior de trabalhadores temporários.

Essas conclusões apoiam a tese de David Autor do MIT, que o uso de agências de empregos temporários, embora beneficie os trabalhadores individuais e as empresas, “pode ter um efeito negativo externo no mercado de trabalho e,  portanto, é uma política mal conduzida”.

Fontes:
The Economist-America’s growing temporary workforce

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *