Início » Gráfico » Mapa mundial do funcionalismo público
o tamanho do leviatã

Mapa mundial do funcionalismo público

A proporção de funcionários públicos no mundo, sejam empregados diretamente ou via 'empresas públicas', revela diferenças sensíveis

Mapa mundial do funcionalismo público
No leste europeu, um dos legados do comunismo é o enorme número de funcionários de empresas públicas (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Nas últimas décadas muitos países tentaram reduzir o tamanho do leviatã, isto é, o estado em expansão. A proporção de funcionários públicos na força de trabalho – sejam empregados diretamente ou via “empresas públicas” – revela diferenças sensíveis.

Na Noruega e Dinamarca a proporção de pessoas que dependem do erário público é mais que o dobro da Alemanha e Espanha. Na maioria dos casos, países da Europa Ocidental empregam os seus funcionários diretamente. Ao leste, um dos legados do comunismo é o enorme número de funcionários de empresas públicas: na Polônia e República Checa mais pessoas receberem contracheques dessas instituições que do estado diretamente.

Entre 2001 e 2011 a proporção de funcionários públicos caiu na maioria dos países, mas não na Grã-Bretanha e no Canadá, lugares mais associados à redução da influência do estado na economia. Nos EUA (não listado por falta de dados), a proporção de funcionários públicos é de 15%, logo abaixo da média da OECD.

 

Fontes:
The Economist-Taking the king's coin

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. carlos a a gameiro disse:

    Veja o gráfico de no. de funcionário públicos no link Fontes. Nota-se que o Brasil está com numa boa posição, o que leva à conclusão de que o problema principal é a corrupção não necessariamente ligada ao funcionalismo público.

  2. Bráulio Júnior disse:

    No Brasil falta funcionário públicos e sobra incompetência dos políticos. Por exemplo, na cidade de São Paulo temos profissionais dos mais gabaritados, mas não temos material, veículos, procedimentos, etc, que seriam necessários para dar vazão às competências!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *