Início » Internacional » Martín Vizcarra chega a Lima para assumir presidência do Peru
NOVO PRESIDENTE

Martín Vizcarra chega a Lima para assumir presidência do Peru

Vizcarra vai suceder Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou na última quarta-feira, 21, em meio a denúncias de corrupção

Martín Vizcarra chega a Lima para assumir presidência do Peru
Martín Vizcarra atuava como vice-presidente e embaixador do Peru no Canadá (Foto: Wikimedia)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O vice-presidente do Peru, o engenheiro civil Martín Vizcarra, chegou à capital peruana Lima nesta sexta-feira, 23, para assumir o cargo de presidente do país. Ele vai suceder Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou ao cargo na última quarta-feira, 21, em meio a denúncias de corrupção.

Através de sua conta no Twitter, Vizcarra afirmou, no fim da tarde de quarta-feira, estar “indignado com a situação atual, como a maioria dos peruanos”. No entanto, anunciou que voltaria ao Peru para se “colocar à disposição do país, respeitando o que a Constituição manda”, destacando que o Peru tem o que é necessário para que, com união, continue avançando.

Vizcarra, além de vice-presidente, atuava como embaixador do Peru no Canadá desde setembro de 2017. Tendo feito aniversário na última quinta-feira, 22, o vice-presidente peruano foi recebido no Aeroporto Internacional Jorge Chávez por centenas de simpatizantes, que presentearam Vizcarra e levaram um bolo de aniversário para celebrar sua chegada aos 55 anos.

Na quinta-feira, no Canadá, Vizcarra, que já atuou como presidente regional da empresa Moquegua, começou a assumir o poder como presidente peruano, afirmando que ele mesmo receberá os chefes de Estado para a Cúpula das Américas, que acontece em abril, em Lima.

Como um de seus principais desafios, Vizcarra terá que reconstruir as relações governamentais, abaladas pelos escândalos de corrupção, e reconquistar a confiança do eleitorado peruano. De acordo com o Barômetro das Américas, pesquisa divulgada na última terça-feira, 20, 91% dos peruanos acreditam que mais da metade dos políticos estejam envolvidos com corrupção. Ademais, apenas 7,5% dos peruanos confiam em partidos políticos.

Já para 27% dos peruanos, o maior problema do país é a corrupção. O percentual é o mais alto de toda a América do Sul – no Brasil, 19% da população compartilham o mesmo pensamento. Além disso, 38% do povo peruano apoiaria um golpe contra o presidente, mostrando descrença no processo democrático do país.

Renúncia

Eleito presidente em 2016, Kuczynski apresentou sua renúncia ao Congresso Nacional, através de uma carta, um dia antes de ser iniciado um debate no Parlamento sobre uma possível destituição do então presidente. Aos companheiros de partido, ele afirmou ter sido vítima de uma “armadilha”.

A pressão sobre Kuczynski aumentou quando foram divulgados vídeos de Kenji Fujimori, além de outros aliados da base governamental, oferecendo obras a um parlamentar para que ele votasse pela permanência do presidente no poder.

O presidente do Congresso Nacional, Luis Galarreta, informou, na quarta-feira, que os partidos concordaram em aceitar a renúncia de Kuczynski. Na quinta-feira, o Parlamento iniciou o debate sobre a renúncia do chefe de Estado, mas adiou a sessão para ser retomada nesta sexta-feira.

Em dezembro de 2017, o Congresso peruano já havia analisado uma moção de destituição de Pedro Pablo Kuczynski após denúncias de que a empreiteira brasileira Odebrecht teria subornado governos da América Latina para garantir contratos de obras públicas. Na ocasião, o Congresso rejeitou o afastamento de Kuczynski.

Fontes:
Agência Brasil-Martín Vizcarra desembarca em Lima para tomar posse como presidente do Peru
El País-O desafio do sucessor de Kuczynski frente a um Peru indignado
G1-Martín Vizcarra chega nesta quinta ao Peru e assume presidência na sexta

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Daniela Villa disse:

    Até um país com nome de…de…de Perú nos dá exemplo: lá o presidente renuncia assim que a sua batata começa a assar; aqui ele compra o Congresso e o Judiciário para se manter no cargo. E o pior é que é tudo “dentro da Lei”.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *