Início » Internacional » Angela Merkel e o casamento gay
ALEMANHA

Angela Merkel e o casamento gay

A aprovação do projeto de lei que legaliza o casamento homossexual é uma demonstração da habilidade política e da estratégia de conciliação da chanceler Angela Merkel

Angela Merkel e o casamento gay
A chanceler concorre a um quarto mandato nas eleições federais em setembro (Foto: Wikimedia)

Em 26 de junho, em um encontro promovido pela revista Brigitte em um teatro de Berlim, um jovem perguntou a chanceler Angela Merkel: “Quando poderei chamar meu namorado de marido?” A chanceler, que sempre se opôs à união de pessoas do mesmo sexo por defender o casamento como uma união entre um homem e uma mulher, deu uma resposta ambígua ao dizer que era favorável ao voto de consciência dos integrantes de seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU), a respeito do assunto.

Apesar de ambígua a frase abriu caminho para a legalização do casamento homossexual. Em 30 de junho, o Bundestag aprovou, com os votos dos deputados do Partido Social-Democrata (SPD), do Partido Verde, do partido A Esquerda e de alguns parlamentares do CDU um projeto de lei que legaliza o casamento homossexual. A nova lei, que precisa ser ratificada pela Câmara Alta do Parlamento (Bundersrat), o que deverá acontecer até o final deste ano, não só legalizará a união estável entre pessoas do mesmo sexo, como dará aos casais homossexuais o direito de adoção.

Por que Merkel não impôs sua opinião aos membros do CDU? A chanceler concorre a um quarto mandato nas eleições federais em setembro. Em 28 de junho, uma pesquisa do instituto Forsa mostrou que o bloco conservador de Merkel, composto pelo CDU e a União Cristã da Baviera (CSU), tem 40% das intenções de voto, o maior índice de aprovação desde a crise migratória em 2015. A chanceler já tem seus trunfos para ser vitoriosa nas eleições, mas a abertura à legalização do casamento homossexual é um reflexo das três principais regras do seu estilo de liderança.

Em primeiro lugar, Merkel acompanha a tendência da opinião pública. Mesmo as decisões mais arriscadas de seu governo, como a desativação das usinas nucleares em 2011 e a política de abertura aos refugiados em 2015, foram uma reação ao desejo da população.

A chanceler Merkel também procura adotar uma estratégia de conciliação em suas decisões a respeito de assuntos discordantes. No congresso pré-eleitoral do SPD em Dortmund, em 25 de junho, Martin Schulz, seu concorrente ao cargo de chanceler, criticou essa tática de “desmobilização assimétrica” ​​como um ataque à democracia.

Por fim, Merkel está sempre atenta às mudanças quando as circunstâncias exigem. Nas últimas semanas, os Verdes e o Partido Liberal Democrático (FDP) avisaram que só negociariam uma eventual coalizão pós-eleição se a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo estivesse na pauta do programa do novo governo. Portanto, o voto segundo as convicções pessoais dos integrantes de seu partido, como declarou no evento promovido pela revista Brigitte, foi mais uma demonstração da habilidade política da chanceler Angela Merkel.

 

Fontes:
The Economist-What Angela Merkel’s shift on gay marriage reveals about her style

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *