Início » Internacional » Mesmo com bloqueio a YouTube, China diz não ter medo da internet
Internacional

Mesmo com bloqueio a YouTube, China diz não ter medo da internet

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ministro das Relações Exteriores chinês afirmou, nesta terça-feira, que a China não tem medo da internet nem tomou conhecimento do bloqueio ao site de compartilhamento de vídeos Youtube.

O site não está disponível no país desde a última segunda-feira. A China filtra o conteúdo crítico ao governo do Partido Comunista na internet. O porta-voz do ministro das Relações Exteriores, Qin Gang, disse que "muitas pessoas alimentam a falsa impressão de que o governo chinês teme a internet. Na verdade, é justamente o oposto".

Qin justificou a declaração informando que há 300 milhões de usuários de internet no país e cem milhões de blogs. Com isso, ele tentou provar que o acesso à internet na China é "aberto o suficiente, mas também precisa ser regulado pela lei, a fim de prevenir a expansão de informações prejudiciais e garantir a segurança nacional".

Em janeiro, a China bloqueou o acesso a centenas de sites. Em março, mês em que os protestos difundidos pelos tibetanos completaram um ano, o país impediu o acesso ao YouTube. Analistas avaliam essas ações como uma tentativa do partido de reprimir os dissidentes em 2009, ano de comemorações como o aniversário de 20 anos do massacre sangrento no protesto na Praça da Paz Celestial, em 1989.

Fontes:
Estadão - 'Sem medo' da Internet, China parece ter bloqueado o YouTube

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Evandro Correia disse:

    Na China não existe liberdade. Como a Internet é o território mais livre do mundo, era inevitável a China cercear essa liberdade.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *