Início » Internacional » México caminha para a legalização da maconha
USO RECREATIVO

México caminha para a legalização da maconha

A legalização da maconha para fins recreativos na Califórnia influenciou a opinião pública no México. Mas a ala conservadora da sociedade mexicana resiste à ideia

México caminha para a legalização da maconha
É possível que as mudanças nos Estados Unidos estimulem uma reflexão a respeito do uso da maconha no México (Foto: Flickr)

Em novembro, 57% dos californianos votaram a favor da legalização do cultivo e do uso da maconha para fins recreativos. Em sete outros estados e em Washington, D.C., seu uso já foi legalizado ou logo será. Mas a legalização da droga no estado mais populoso na fronteira com o México terá uma grande influência no país. A guerra contra as drogas já se prolonga há dez anos no México. O governo gastou milhões de dólares na erradicação da maconha. Agora, estará ao lado de um enorme mercado legalizado, no qual 30% da população é mexicana ou de origem mexicana. É possível que as mudanças nos Estados Unidos estimulem uma reflexão a respeito do uso da maconha no México, entre os cidadãos, formuladores de políticas e traficantes.

Quase um terço dos eleitores no México apoia a legalização da maconha para fins recreativos, em comparação com a proporção de 7% em 2008. Muitos mexicanos associam a maconha aos horrores da guerra contra as drogas, que causou mais de 80 mil mortes. Na opinião de alguns mexicanos esse é um motivo inquestionável para reprimir ainda mais a venda e o consumo de drogas; para outros, é preciso tirá-las das mãos dos traficantes criminosos.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, havia proposto a descriminalização da posse de 28 gramas ou menos de maconha para fins recreativos (o limite atual é de cinco gramas). Em 13 de dezembro, o governo deu mais um passo importante para a legitimação da droga, com a votação do Senado a favor da legalização da maconha para fins medicinais. Essa liberalização parcial teve um grande apoio dos parlamentares: 98 dos 127 senadores votaram a favor, com apenas sete votos contra. Os jornais publicaram vários artigos com histórias do uso da cannabis no tratamento de uma série de doenças. Até mesmo o arcebispo da Cidade do México aprovou o projeto de lei. A Câmara dos Deputados deve sancioná-lo no início de 2017.

Entretanto, assim como o quarto de um usuário habitual de maconha, o caminho para a total legalização é cheio de obstáculos. O Partido Revolucionário Institucional (PRI) do presidente Peña está dividido entre agradar a base tradicional do partido e se aproximar da juventude mexicana que, como jovens de outros países, querem a legalização da cannabis. O desempenho fraco do PRI nas eleições para governadores em junho foi atribuído em parte às propostas de liberalização da maconha e do casamento de homossexuais do presidente Peña, que desagradaram os conservadores sociais. Desde então, o projeto de descriminalização foi adiado.

Fontes:
The Economist-Mexican attitudes to marijuana mellow

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. laercio disse:

    O México quer cortar a dor de cabeça cortando a cabeça.
    Já não basta o número de desgraças daquele país e as autoridades patifes querem acompanhar os passos dos norte americanos que são muito mais ricos em recursos que podem ser usados para sanar quaisquer problemas que haja em decorrência da liberação do entorpecente e outros.
    Deveriam estimular o modo de ida natural, entretanto dinheiro, sempre o dinheiro… é mais uma erva para venda, arrecadação aumenta…cretinos!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *