Início » Internacional » Milhares de civis aguardam para deixar Alepo
SÍRIA

Milhares de civis aguardam para deixar Alepo

Civis estão retidos em pontos sem comida e sem abrigo

Milhares de civis aguardam para deixar Alepo
Rebeldes atacaram e incendiaram cerca de 20 ônibus (Fonte: Reprodução/AFP)

Milhares de moradores foram impedidos de deixar Alepo desde a última sexta-feira, 16. Há vários civis retidos em pontos sem comida e sem abrigo.

Leia também: A lição do trágico destino de Alepo

Rebeldes atacaram e incendiaram cerca de 20 ônibus que iriam retirar civis das cidades xiitas pró-Assad de Fua e Kafraya, ficam a cerca de 60 km de Alepo. O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informou que o motorista de um dos ônibus morreu no ataque.

De acordo com o diretor do Observatório, Rami Abdel Rahman, “a operação foi adiada devido à ausência de garantias relacionadas à segurança dos evacuados das cidades de Fua e Kafraya”.

A imprensa oficial informou que um acordo previa a entrada de dezenas de ônibus “sob a supervisão da Cruz Vermelha” para retirada de civis de Alepo, Fua e Kafraya. A expectativa é de que seja alcançado um novo acordo em duas etapas.

“Em uma primeira etapa, metade das pessoas cercadas em Alepo devem sair, paralelamente à retirada de 1.250 pessoas de Fua. Em seguida, outras 1.250 pessoas de Kefraya sairão ao mesmo tempo que os demais habitantes de Alepo”, disse um representante dos rebeldes.

O OSDH estima que cerca de 8,5 mil pessoas foram retiradas de Alepo até a interrupção da operação, na última sexta. A ONU acredita que ainda há 40 mil civis e entre 1.500 e 5 mil combatentes insurgentes com suas famílias no reduto rebelde na Síria.

Os civis que continuam bloqueados enfrentam uma situação humanitária cada vez mais difícil. Eles passam as noites com temperaturas negativas em meio a ruínas de prédios, sem água potável e sem comida.

Fontes:
EBC - Evacuação de Aleppo é adiada após incidente grave

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *