Início » Internacional » Minas de carvão desativadas viram fazendas solares
ENERGIA RENOVÁVEL

Minas de carvão desativadas viram fazendas solares

Vários países ao redor do mundo substituem o mais sujo dos combustíveis fósseis por fazendas de energia solar

Minas de carvão desativadas viram fazendas solares
China é a maior produtora de energia solar do mundo (Foto: Pixabay)

Minas de carvão ao redor do mundo estão sendo fechadas. Com isso, os países vão abandonando o mais sujo dos combustíveis fósseis e estão investindo na criação de fazendas de energia solar em seu lugar.

Uma das mais recentes transformações ocorreu na cidade chinesa oriental de Huainan, que chegou a representar quase 20% das reservas do carvão no país em 2008. Agora, o projeto, que se tornou a maior iniciativa flutuante de produção de energia solar do mundo, tem capacidade de abastecer 94 mil residências e começará a funcionar em 2018.

Orçado em 1 bilhão de yuans (cerca de US$ 150 milhões), o projeto de 150 megawatts (MW), da empresa estatal chinesa Three Gorges Corporation, consiste em painéis flutuantes em um lago formado em uma antiga mina de carvão. Uma outra iniciativa, que fica na mesma cidade, e também no topo de uma antiga mina de carvão, tem capacidade para oferecer eletricidade para 15 mil domicílios.

A China é a maior produtora de energia solar do mundo, tendo a capacidade de produzir até 78.1 gigawatts (GW) somente em 2016, segundo um levantamento divulgado no site Quartz. Em seguida aparece o Japão, com 42.8 GW. Em terceiro está a Alemanha, com 41.3 GW. Estados Unidos (40.3 GW), Itália (19.3 GW), Reino Unido (11.7 GW), Índia (9 GW), França (7.1 GW), Espanha e Austrália (ambos com 5.5 GW) completam o ranking dos 10 maiores produtores de eletricidade através da energia solar do mundo em 2016.

A Alemanha, que está em terceiro lugar no ranking em termos de capacidade de gerar eletricidade através da energia solar, trabalha para transformar uma mina de carvão com meio século de história em uma usina de energia renovável. Através de painéis solares e turbinas eólicas, o espaço terá capacidade para alimentar 40 mil residências.

Já nos Estados Unidos, o Grupo Berkeley Energy quer transformar uma mina em uma usina de energia solar com capacidade para produzir entre 50 e 100 MW em 2018. No Reino Unido, a Haworth Group disse, no fim de 2016, que queria transformar a última mina de carvão profundo do país, fechada em 2015, em uma fazenda solar de 5 MW.

A estratégia de construir fazendas solares sobre as minas de carvão extintas tem gerado muitos benefícios para os países, principalmente por dar uso produtivo para terras que seriam difíceis de utilizar. Por exemplo, os lagos que se formam em poços de mina de carvão são caracterizados por altas concentrações de sulfato, o que o torna inadequado para agricultura.

Uma fazenda solar flutuante também funciona de forma mais eficiente graças ao efeito de resfriamento da água, de acordo com o World Economic Forum. Dessa forma, os painéis solares mitigam a evaporação da água, ajudando a manter o lago cheio por mais tempo.

Fontes:
Quartz - Dead coal mines everywhere are being reincarnated as solar farms

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. André Luiz.'. disse:

    Enquanto isso, no Brasil, que tem imenso potencial para geração solar (da ordem de 28 mil GW), ainda engatinha nesse setor…

  2. Jorge Hidalgo disse:

    energia solar no brasil??? o “gigante”””””!!!!! só se for na “bu(r)rocracia” -quem vai pagar por todas as “eletros” e a gigantesca rede de desperdício e cabides de emprego???? você e eu cara pálida!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *