Início » Internacional » Ministério japonês propõe solução polêmica para o declínio populacional rural
Plano de revitalização

Ministério japonês propõe solução polêmica para o declínio populacional rural

O plano de enviar pessoas idosas para viver na região rural do Japão faz parte do projeto atual de revitalização regional do governo japonês

Ministério japonês propõe solução polêmica para o declínio populacional rural
Semelhante ao antigo costume de enviar os idosos para as montanhas, a proposta causou constrangimento entre a opinião pública (Foto: Flickr)

Em 2060 a população do Japão deverá diminuir de 127 milhões de pessoas para cerca de 87 milhões, das quais cerca de 40% será de pessoas com 65 anos ou mais. Em 2014 o governo criou um ministério para tentar solucionar o problema do “declínio da população rural e da revitalização das economias locais”. Hoje, o novo ministério está estudando uma proposta destinada a repovoar as áreas rurais e reduzir o custo de cuidar de pessoas idosas na família. É possível que esse projeto seja factível com a mudança das pessoas idosas que moram em Tóquio para a região rural.

Nos próximos dez anos, a população de mais de 75 anos que vive na área de maior densidade demográfica de Tóquio deve aumentar para 1,75 milhão, de acordo com os dados do instituto de pesquisa Japan Policy Council. Cuidar de 5,7 milhões de pessoas muito idosas será um desafio para os serviços sociais já sobrecarregados de trabalho, adverte o instituto; bem mais de 100 mil pessoas poderão ficar sem acomodações em clínicas de repouso para idosos.

Incentivá-las a mudar para a região rural daria um novo vigor à economia local, sugeriu o secretário-geral e porta-voz do governo, Yoshihide Suga. A ideia causou certo constrangimento entre a opinião pública. O ministro de Revitalização das Regiões, Shigeru Ishiba, negou este mês que o governo tinha a intenção de reviver o ubasute, o antigo costume mítico de levar os idosos para morrer nas montanhas ou em locais distantes. “Ninguém pretende obrigar as pessoas a mudarem”, insistiu.

No entanto, a migração em massa da população idosa não é tão improvável como parece, disse Hideki Koizumi da Universidade de Tóquio. O declínio populacional ameaça centenas de vilarejos japoneses com o risco de extinção. Enquanto isso, seria preciso um pequeno exército de pessoas da região rural para cuidar dos habitantes idosos de Tóquio. Mas, assim, a capital ficaria com um número ainda maior de habitantes e o declínio da população dos vilarejos se aceleraria. A solução: construir clínicas de repouso em regiões rurais distantes e enchê-las com uma população urbana idosa.

Fontes:
Economist-Out to pasture

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *