Início » Internacional » Monsanto recebe nova condenação por herbicida à base de glifosato
ESTADOS UNIDOS

Monsanto recebe nova condenação por herbicida à base de glifosato

É a terceira vez apenas nos Estados Unidos que a empresa é condenada a pagar indenização devido ao uso do herbicida

Monsanto recebe nova condenação por herbicida à base de glifosato
Bayer, proprietária da Monsanto, vai recorrer à decisão (Foto: Mike Mozart/Flickr)

A Monsanto foi condenada a pagar US$ 2 bilhões em indenização a um casal de idosos. A decisão foi tomada na última segunda-feira, 13, por um júri na Califórnia, nos Estados Unidos. O motivo seria que o herbicida Roundup, à base de glifosato, teria causado câncer ao casal.

É a terceira condenação da Monsanto por causa do glifosato apenas nos Estados Unidos. Na última, em março, a empresa, que agora pertence à Bayer, foi condenada a pagar US$ 80 milhões a um morador da Califórnia. No ano passado, ela precisou pagar US$ 89 milhões a um jardineiro.

Devido às condenações anteriores, é possível que o valor da indenização ao casal Alva e Alberta Pilliod, de 74 anos e 76 anos, respectivamente, seja reduzido. Caso a condenação não seja revista, além do pagamento de US$ 2 bilhões, a Monsanto também precisaria reembolsar o tratamento de saúde do casal, estimado em US$ 55 milhões, além de outras despesas.

A Bayer já declarou que vai recorrer da decisão do júri, a qual um porta-voz da empresa classifica como “excessiva e injustificável”. Segundo um comunicado da companhia, não há provas científicas para concluir que o herbicida de glifosato foi o fator determinante para o desenvolvimento de câncer.

“Temos grande simpatia pelo Sr. e pela Sra. Pilliod, mas as evidências neste caso eram claras, de que ambos têm longas histórias de doenças conhecidas por serem fatores de risco substanciais para o Linfoma não-Hodgkin (LNH), a maioria dos LNH não tem causa conhecida e não há evidências científicas confiáveis ​​para concluir que os herbicidas à base de glifosato foram a causa ‘mais importante’ de suas doenças, como foi exigido do júri neste caso”, diz o comunicado da empresa.

Enquanto pesa contra a Bayer as condenações anteriores, a empresa conta com o posicionamento de diferentes entidades ao redor do mundo, como a Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos, que considera o glifosato um produto seguro, e a Agência Europeia de Produtos Químicos (ECHA, em inglês), que acredita ser improvável que o glifosato tenha relação com o câncer.

No entanto, um estudo recente, publicado em fevereiro deste ano na revista Science Direct, descobriu que pessoas com alta exposição a herbicidas à base de glifosato tem 41% a mais de chances de desenvolver LNH.

A Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Larc, em inglês), vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), já havia classificado os herbicidas à base do glifosato como “provavelmente cancerígeno para seres humanos”.

No último mês de abril, a Monsanto também foi condenada em um processo em Lyon, na França. Na ocasião, a companhia foi considerada culpada por problemas de saúde em um agricultor devido ao uso do herbicida Lasso.

Fontes:
The New York Times-$2 Billion Verdict Against Monsanto Is Third to Find Roundup Caused Cancer
DW-Monsanto é condenada a pagar US$ 2 bi a casal com câncer

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *