Início » Internacional » Evo dá prazo para que apresentem provas contra sua filha
CRISE BOLIVIANA

Evo dá prazo para que apresentem provas contra sua filha

Ex-presidente dá prazo de 48 horas para que advogado que acusou sua filha, Evaliz, de enriquecimento ilícito apresente provas

Evo dá prazo para que apresentem provas contra sua filha
Evo Morales está asilado no México e os filhos estão na Argentina (Foto: @evoespueblo/Twitter)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales vem expressando indignação em relação à acusação de enriquecimento ilícito contra sua filha, Evaliz Morales.

A acusação contra Evaliz foi feita por Eduardo León, advogado conhecido por ter aparecido ao lado do líder de direita Luis Fernando Camacho invadindo o Palácio Quemado, sede do Executivo boliviano, para estender no local uma bandeira da Bolívia com a bíblia em cima.

Em declarações recentes à imprensa, León vêm afirmando que a filha de Morales “se apropriou de quantias milionárias de dinheiro” e que precisa ser investigada.

Na tarde do último domingo, 24, Morales chamou a acusação de “infame” deu um prazo de 48 horas para que o León apresente provas de sua acusação.

“Dou um prazo de 48 horas ao Sr. León para que apresente provas contra minha filha Evaliz pela acusação infame de enriquecimento ilícito. Caso contrário, assumiremos a defesa legal pela dignidade da minha família”, escreveu Morales em sua conta no Twitter.

Morales já havia usado as redes sociais para denunciar as “mentiras” e “difamações” do governo interino boliviano contra sua família. No último sábado, 23, ele havia pedido que fossem apresentadas evidências sobre o suposto enriquecimento ilícito de Evaliz. No entanto, o tom mais duro, com prazo para iniciar sua defesa, só foi adotado no domingo.

Os filhos de Evo Morales, Evaliz Morales e Álvaro Morales, estão exilados na Argentina por instruções da autoproclamada presidente em exercício da Bolívia, Jeanine Áñez, segundo informou o ministro do Interior boliviano, Arturo Murillo. “Nós cuidamos da família, os filhos não respondem pelos crimes dos pais”, escreveu o ministro nas redes sociais.

Segundo o jornal El Potosí, Álvaro e Evaliz estão em Buenos Aires, na capital da Argentina, onde se encontraram com o presidente eleito Alberto Fernández. No momento, os filhos de Evo Morales permanecerão na Argentina, mas não está descartada uma viagem para a Cidade do México, onde Morales está asilado.

Novas eleições

Também no domingo, Áñez promulgou uma lei para convocar novas eleições gerais dentro de 120 dias. A norma anula o último pleito boliviano, que tinha elegido Evo Morales para o seu quarto mandato.

“Tenho muito orgulho dessa lei, mas, acima de tudo, tenho muito orgulho de todos os bolivianos, que nunca desistiram e nunca se cansaram, estamos cumprindo nossa missão, pois também chega o momento da reconciliação”, escreveu Áñez nas redes sociais.

A norma prevê a renovação do Supremo Tribunal Eleitoral (TSE), a participação de todas as forças políticas e torna Evo Morales e seu vice, Álvaro García Linera, inelegíveis. Ademais, também prevê o registro dos eleitores.

Fontes:
G1-Presidente interina promulga lei para eleições gerais na Bolívia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *