Início » Internacional » Morte de homem negro por policiais gera novos protestos nos EUA
VIOLÊNCIA POLICIAL

Morte de homem negro por policiais gera novos protestos nos EUA

Vídeo gravado por testemunha mostra policial disparando quatro vezes à queima roupa contra um homem negro

Morte de homem negro por policiais gera novos protestos nos EUA
Protestos em Baton Rouge, capital da Louisiana, após um novo episódio de violência policial (Fonte: Reprodução/Hilary Scheinuk/The Advocate/AP)

A morte de mais um homem negro por policiais gerou uma nova onda de protestos nesta quinta-feira, 7, nos EUA. Os manifestantes erguerem cartazes com dizeres como “a vida dos negros não importa”.

Os protestos ocorrem após mais um caso de violência policial no país. Desta vez, o episódio envolve a morte de um homem negro que vendia CDs piratas na porta de uma loja de conveniência em Louisiana.

Um vídeo gravado por uma testemunha mostra um policial correndo atrás de um homem negro na madrugada da última terça-feira, 5. Após receber a ajuda de outro policial para jogar o suspeito no chão, o agente dispara contra o homem à queima-roupa quatro vezes. A voz da testemunha surge no vídeo: “Atiraram nele? Desgraçados, meu Deus!”.

O homem morto foi identificado pela polícia de Baton Rouge como Alton Sterling, de 37 anos. De acordo com a polícia, os dois agentes tentaram fazer contato com o suspeito no estacionamento da loja de conveniência. Os policiais foram até o local após uma denúncia de uma pessoa que afirmava ter sido ameaçada por um homem armado.

Em nota publicada no Facebook, a polícia informou que “houve uma discussão entre Sterling e os policiais. Sterling foi baleado durante a discussão e morreu no local”. A polícia ressaltou ainda que os procedimentos normais foram seguidos e que os agentes envolvidos no episódio foram colocados em licença administrativa.

Fontes:
G1 - EUA têm protesto por novo caso de violência policial contra negro

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *