Início » Internacional » Após ataque, MSF vai deixar a cidade afegã de Kunduz
BOMBARDEIO CONTRA MSF

Após ataque, MSF vai deixar a cidade afegã de Kunduz

Segundo indícios, o ataque a um hospital administrado pela organização Médicos sem Fronteiras, no Afeganistão, foi conduzido pelos EUA

Após ataque, MSF vai deixar a cidade afegã de Kunduz
Bombardeio em hospital administrado pela organização humanitária Médicos sem Fronteiras no Afeganistão (Foto: Doctors Without Borders – MSF)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A organização humanitária Médicos sem Fronteiras (MSF) afirmou que vai encerrar suas atividades na cidade de Kunduz, no Afeganistão, onde um de seus hospitais foi bombardeado no último sábado, 3. 

Segundo a MSF, 22 pessoas morrerram, sendo 10 pacientes e 12 funcionários da organização. Além disso, outras 37 pessoas ficaram feridas.

Em sua conta no Twitter, a organização pediu uma investigação independente sobre o bombardeio “sob a clara presunção de que um crime de guerra foi cometido”.

Segundo indícios, o ataque foi conduzido pelos Estados Unidos. No último domingo, 4, o Pentágono disse que a investigação do caso, subordinada ao quartel-general militar da Otan no Afeganistão , será concluída em “questão de dias”. As Forças Armadas dos EUA também abriram uma “investigação formal para conduzir um inquérito rigoroso e abrangente”. O governo afegão também prometeu investigar o ataque aéreo.

Mudança de contexto

O ex-presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, costumava atacar a administração de George W. Bush e Barack Obama por conta das baixas ocasionadas pelos ataques aéreos e pelos ataques no Afeganistão, acusando os americanos de desprezar as vidas afegãs. No entanto, o contexto político agora é outro. Mesmo antes de o Talibã invadir Kunduz na semana passada, o presidente Ashraf Ghani, confrontado com uma situação de deterioração da segurança, se viu forçado a pedir que o governo americano reconsidere seu plano de retirar todas as forças de coalizão lideradas pelos EUA do país até o final de 2016. Afinal, os ataques aéreos americanos possibilitaram as forças afegãs de retomar o controle de pelo menos parte da cidade.

Autoridades americanas disseram anonimamente que as forças afegãs solicitaram apoio aéreo em um combate contra militantes do Talibã na área do hospital. Um membro do parlamento disse ao New York Times que “um monte de Talibã” foi morto no ataque, além das baixas de civis.

 

Fontes:
O Estado de S. Paulo-Após ataque a hospital, Médicos sem Fronteiras deixa cidade afegã
Slate-Why Afghanistan Isn’t Outraged About the Doctors Without Borders Bombing

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site