Início » Internacional » Muçulmanos superam os católicos em número de fiéis

Muçulmanos superam os católicos em número de fiéis

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O catolicismo já não é mais a religião com o maior número de fiéis, liderança que manteve durante séculos. Atualmente há 1,3 bilhão de muçulmanos no mundo, contra 1,1 bilhão de católicos.

Se mantiver o ritmo de expansão atual, em menos de vinte anos o islamismo representará 30% da humanidade. O número de católicos então representará 16,7% da população mundial e os cristãos serão 25%.

Um dos fatores que mais ajudam a entender essa expansão está na diferença nas taxas de fertilidade entre os adeptos das duas religiões. Cai o número de filhos nos países de maioria católica, sociedades modernas em que as mulheres dão prioridade à profissão e os custos com a educação dos filhos obriga os pais a optarem por uma família menor.

Na maioria dos países com maioria islâmica, o índice de natalidade se mantém bem acima da média de reposição populacional. Dos dez países com as maiores taxas de fertilidade, seis são de maioria muçulmana.

Fontes:
Veja - Demografia da fé

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Evandro Correia disse:

    Esses caras vão dominar o mundo!

  2. Henrique disse:

    Intimidador… uma parte expressiva dos Mussulmanos são radicais e anti-ocidentais ainda contra-balançada pela maioria pacífica que vem perdendo forças à medida que países como os EUA fazem suas prezepadas na política externa. Como educação, saneamento básico, saúde e liberdade de expressão não são prioridades na maioria dos países pobres (e mussulmanos) torna-se fácil mobilizar multidões de adeptos à causa anti-ocidental, o que deve ser visto com muito cuidado. As nações desenvolvidas devem começar a dispender forças não para invadir ou pilhar estes povos mas sim para ajudar estes países a desenvolver programas políticos e sociais para desenvolvimento da educação, comunicação, politização e por aí vai… senão… estaremos em sérios apuros no futuro..

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *