Início » Internacional » Nicolás Maduro: ‘Eu sou Chávez’
o papagaio do caudilho

Nicolás Maduro: ‘Eu sou Chávez’

Agora que Chávez se foi, a grande questão é se seu sucessor escolhido a dedo vai continuar a imitar o presidente ou se pretende traçar seu próprio caminho

Nicolás Maduro: ‘Eu sou Chávez’
Charge do nosso colaborador, Sponholz

Nas semanas que antecederam a morte de Hugo Chávez, o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, intensificou suas imitações do governante, tornando-se cada vez mais parecido com seu mentor.

Ele assumiu muitos dos padrões vocais e os ritmos da fala de Chávez, e tem ansiosamente repetido o slogan “Eu sou Chávez” para multidões de simpatizantes. Maduro também repete os temas favoritos do presidente, menosprezando a oposição política, denunciando misteriosos complôs para desestabilizar o país e chegando até a sugerir que os Estados Unidos estavam por trás do câncer de Chávez.

Leia também: Analistas preveem vitória tranquila de Nicolás Maduro

Maduro também adotou o modo de vestir-se do presidente, caminhando ao lado de seu caixão em uma procissão enorme nesta quarta-feira, 6, vestindo um blusão com as cores nacionais, como Chávez fazia.

Mas agora que Chávez se foi, a grande questão é se Maduro, seu sucessor escolhido a dedo, vai continuar a espelhar o presidente e seu estilo pouco convencional de governar ou vai se desviar para uma direção mais autêntica.

“Ele não pode ficar lá e dizer: “Eu sou o Mini-Me de Chávez e agora vocês têm que me seguir”, disse Maxwell  Cameron, da Universidade de British Columbia, em Vancouver, em entrevista ao New York Times.

A perplexidade sobre que tipo de líder Maduro irá se tornar ser estende até Washington, onde os políticos norte-americanos vêm estudando  Maduro há meses, anos até, para determinar se ele pode proporcionar uma abertura para uma maior aproximação entre as duas nações .

Autoridades americanas dizem que Chávez, apesar de suas denúncias muito públicas contra Washington, trabalhou nos bastidores para manter relações comerciais entre os dois países, especialmente no setor de petróleo.

Os Estados Unidos estenderam a mão para Maduro em novembro do ano passado para avaliar o seu interesse em melhorar o relacionamento. Maduro respondeu positivamente, e as duas nações realizaram três reuniões informais em Washington. Mas as negociações foram paralisadas este ano e ainda não há previsão de quando serão retomadas, fazendo as autoridades americanas questionarem as verdadeiras intenções de Nicolás Maduro.

 

Fontes:
The New York Times - A Leader Cries, ‘I Am Chávez,’ as U.S. Seeks Policy Clues

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. André Luiz Duarte de Queiroz disse:

    É… agora é que a Venezuela começa sua grande trajetória para o buraco! Falecido Chaves, os ‘chavistas’ vão “empurrar com a barriga” o governo do país, baseados nas mesmas ideologias! Enquanto tiverem pra quem vender a bom preço o petróleo e o gás do país, poderão continuar com a pantomima de ‘revolucón bolivariana’. Só que isso não vai durar pra sempre!…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *