Início » Economia » Nicolás Maduro buscará reeleição em 2018
VENEZUELA

Nicolás Maduro buscará reeleição em 2018

Anúncio foi feito pelo vice-presidente venezuelano, Tareck El Aissami, em um discurso na última quarta-feira, 29

Nicolás Maduro buscará reeleição em 2018
Maduro está no poder desde março de 2013, quando Hugo Chávez morreu (Foto: Flickr/Conecta Abogados)

Mesmo com a crise humanitária na Venezuela se arrastando há anos, o presidente Nicolás Maduro vai concorrer a um novo mandato nas próximas eleições presidenciais. O anúncio foi feito pelo vice-presidente do país, Tareck El Aissami, na última quarta-feira, 29, em um discurso em Maracay, em Aragua, em um evento do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).

“Em 2018, teremos uma grande vitória revolucionária, apesar da violência e perseguição financeira. Já temos 18 governadores [de um total de 23]. Teremos em breve a maioria das prefeituras. Já temos a Assembleia Nacional Constituinte. E teremos, com a ajuda de Deus e do povo, a reeleição do nosso irmão Nicolás Maduro como presidente da República”, afirmou o vice-presidente durante campanha para as eleições municipais, que ocorrem no próximo dia 10 de dezembro.

Ainda durante o anúncio, Aissami criticou a oposição ao governo de Nicolás Maduro, apontando os líderes opositores como fantoches do presidente americano Donald Trump, que estaria interferindo na política venezuelana através da embaixada dos Estados Unidos em Caracas. Ademais, apontou a oposição como representante do “individualismo, o ódio, a intolerância, o sectarismo, a traição e a corrupção”.

Os opositores, por sua vez, responderam às afirmações também na última quarta-feira, 29. Henry Ramos Allup afirmou que, para a Venezuela se livrar da crise econômica ainda em 2018, basta que o presidente Nicolás Maduro deixe o poder e permita que um governo “honesto e eficiente” assuma.

Apesar do posicionamento, a oposição ainda não escolheu um candidato para disputar as eleições contra Maduro. Henry Ramos Allup, Henri Falcón, Julio Borges e María Corina Machado são alguns dos possíveis presidenciáveis.

Mesmo tendo uma das maiores reservas de petróleo e gás do mundo, a Venezuela vive uma longa crise política, econômica e humanitária. Em 13 de novembro, o país sofreu sanção da União Europeia, que estabeleceu um embargo de armas.

A crise, além de ter feito a criminalidade no país crescer, também causou a migração de milhares de venezuelanos para outros países, inclusive o Brasil, que conta com muitos abrigos lotados por imigrantes.

A oposição tem acusado frequentemente o presidente Nicolás Maduro de ser o responsável da crise no país, além de estar sofrendo críticas e sanções internacionais. Mais de 100 pessoas morreram em 2017 em protestos contra o presidente.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Lucinda Telles disse:

    Será reeleito, ainda mais com a ajuda das urnas eletrônicas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *