Início » Internacional » Nova classe média chinesa adere às greves
Protestos

Nova classe média chinesa adere às greves

No início de novembro, nove mil motoristas de táxi entraram em greve na China. O aumento da inflação prejudicou seus rendimentos e, por isso, eles alegam que o governo não fez nada para ajudar.

Durante dois dias os taxistas bloquearam estradas e depredaram carros na província de Sichuan, no sudoeste do país. O governo rapidamente acabou com a manifestação, prometendo atender aos pedidos dos motoristas por melhores condições de trabalho.

Desde essa greve dos taxistas, membros da nova classe média chinesa vêm realizando protestos em todo o país, cruzando os braços até que suas reivindicações sejam atendidas. São professores, operários e até mesmo agentes da polícia.

Há tempos o governo da China teme o crescimento dos movimentos trabalhistas, proibindo sindicatos não autorizados e prendendo aqueles que falarem em nome dos direitos dos trabalhadores. As greves são, em parte, decorrentes da desaceleração econômica do país.

Fontes:
Washington Post - With Strikes, China's New Middle Class Vents Anger

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Arlon Borges disse:

    As ditaduras não duram para sempre, a da China já tem 60 anos, a mais antiga das tiranias comunistas do mundo, está na hora de acabar.

  2. heloisa disse:

    Se os taxis são particulares e a inflação diminuiu seus lucros, o que querem eles com a greve? Talvez, como nós, queiram a baixa real do combustível

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *