Início » Internacional » Número de cubanos que migraram para os EUA disparou
RETOMADA DE RELAÇÕES

Número de cubanos que migraram para os EUA disparou

Entre outubro de 2014 e junho de 2015, 27.296 cubanos entraram em território americano

Número de cubanos que migraram para os EUA disparou
Cubanos tentam atravessar o Estreito da Flórida para chegar aos EUA (Fonte: Reprodução/Gregory Ewald/US Coast Guard/AFP)

Dados divulgados nesta quarta-feira, 7, pelo Pew Research Center revelaram que o número de cubanos que migraram para os EUA aumentou significativamente desde a retomada de relações entre os dois países, em dezembro do ano passado.

Leia também: EUA e Cuba reabrem embaixadas
Leia também: Chefes da diplomacia de Cuba e EUA têm encontro histórico
Leia também: Turistas norte-americanos começam a ‘invadir’ Cuba

Entre outubro de 2014 e junho de 2015 (nove primeiros meses do ano fiscal de 2015) 27.296 cubanos entraram nos EUA, de acordo com o Escritório de Alfândegas e Proteção Fronteiriça dos EUA.

O número representa um aumento de 78% em relação ao mesmo período do ano fiscal anterior, quando 15.341 cubanos migraram para os EUA. O total registrado também está muito acima dos números de 2013, 2012 e 2011.

Um total de 7.759 cubanos migraram para os EUA no ano fiscal de 2011. O número é cerca de 25% do registrado em apenas nove meses do ano fiscal de 2015.

A disparada no número de cubanos que migraram para os EUA ocorreu entre janeiro e março deste ano, quando 9.371 cubanos entraram em território norte-americano. O número é mais que o dobro dos 4.296 registrados nos três primeiros meses do ano passado.

A Lei de Ajuste Cubano de 1966 prevê que, após um ano de residência nos EUA, os cubanos podem solicitar a residência permanente.

Mas nem todos que tentaram entrar nos EUA conseguiram. Um total de 2.927 migrantes cubanos que tentavam chegar ao país por via marítima no ano fiscal de 2015 foram apreendidos pela guarda costeira norte-americana.

Fontes:
G1 - Imigração cubana dispara nos EUA após restabelecimento de relações

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *