Início » Internacional » Número de hipertensos duplicou no mundo nos últimos 40 anos
ESTUDO

Número de hipertensos duplicou no mundo nos últimos 40 anos

Atualmente, cerca de 1 bilhão de pessoas sofrem de hipertensão em todo o mundo

Número de hipertensos duplicou no mundo nos últimos 40 anos
Do total de hipertensos no mundo em 2015, 590 milhões viviam na Ásia (Fonte: Reprodução/Agência Brasil)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um novo estudo publicado nesta quarta-feira, 16, pela revista norte-americana The Lancet revelou que o número de hipertensos em todo o mundo duplicou nas últimas quatro décadas.

Leia também: Um quarto da população nas capitais brasileiras tem hipertensão

Atualmente, cerca de 1 bilhão de pessoas sofrem de hipertensão no mundo inteiro. Deste total, a maioria vive em países em desenvolvimento, sendo metade delas na Ásia.

Em 1975, a hipertensão atingia principalmente moradores de países ricos. A situação, no entanto, mudou desde então e o problema cresceu significativamente em países de renda média e baixa.

A quantidade de pessoas com hipertensão no mundo aumentou de 594 milhões em 1975 para mais de 1 bilhão no ano passado, devido principalmente a um forte crescimento do fenômeno na Ásia e na África. A hipertensão ocorre quando a pressão arterial é superior a 140/90 mmHg.

De acordo com o principal autor do estudo, Majid Ezzati, do Imperial College de Londres, “a hipertensão é o principal fator de risco dos acidentes cerebrovasculares (ACVs) e das doenças cardiovasculares, matando 7,5 milhões de pessoas todo ano no mundo, principalmente nos países em desenvolvimento”.

Do total de hipertensos no mundo em 2015, 590 milhões viviam na Ásia, sendo 199 milhões na Índia e 226 milhões na China, ainda segundo o estudo.

Fontes:
G1 - Nº de hipertensos no mundo duplicou em 40 anos e passa de 1 bilhão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *