Início » Internacional » ‘NYT’ diz que Trump ordenou ataque contra o Irã, mas recuou
TENSÃO ELEVADA

‘NYT’ diz que Trump ordenou ataque contra o Irã, mas recuou

Novo episódio de tensão entre Estados Unidos e Irã foi motivado pelo abatimento de um drone americano em território iraniano. Trump admitiu o recuo

‘NYT’ diz que Trump ordenou ataque contra o Irã, mas recuou
Autoridades não responderam aos questionamentos do 'NYT' sobre o possível avanço militar (Foto: White House/Flickr)

O clima entre Estados Unidos e Irã parece cada vez mais tenso. Em um novo episódio da instabilidade entre os países, o presidente dos EUA, Donald Trump, chegou a autorizar ataques militares contra os iranianos, mas recuou na noite da última quinta-feira, 20.

As informações são do New York Times. Essa seria a terceira ação militar de Trump em áreas do Oriente Médio e a primeira contra o Irã. Em 2017 e 2018, os EUA atacaram alvos na Síria. Na manhã desta sexta-feira, 21, Trump admitiu que recuou ao avanço militar.

“Nós estávamos engatilhados e carregados para retaliar ontem [quinta] à noite em três diferentes lados, quando perguntei quantos morreriam. 150 pessoas, senhor, foi a resposta de um general. 10 minutos antes do ataque eu parei”, escreveu Trump.

A nova escalada de tensão deve-se a um abatimento de um drone americano, com valor estimado em US$ 130 milhões, por forças militares do Irã. Ambos os países reconheceram o abate, mas discordam sobre a localização. Os iranianos afirmam que o drone invadiu o espaço aéreo do país, enquanto os americanos dizem que ele sobrevoava águas internacionais.

Pouco depois do drone ser abatido, o presidente Trump usou as redes sociais para afirmar que o “Irã cometeu um grande erro”. Quando questionado sobre como os Estados Unidos reagiriam ao ataque, Trump respondeu: “Vocês vão descobrir”.

A afirmação fez com que a possibilidade de um ataque militar ao Irã pairasse sobre Washington durante boa parte da última quinta-feira. Nomes conhecidos internacionalmente, como o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, seriam favoráveis a uma resposta militar, segundo o New York Times. No entanto, altos funcionários do Pentágono alertaram para o risco de uma escalada ainda maior de tensão.

Segundo o “NYT”T, autoridades, que solicitaram anonimato, revelaram que Trump teria inicialmente aprovado ataques militares contra alvos selecionados no Irã, como base de mísseis e radares. Ainda de acordo com essas autoridades, o avanço estava em fase inicial, com aviões e navios a postos, quando foi cancelado. Não se sabe, porém, se as ações foram temporariamente suspensas ou completamente canceladas.

Escalada de tensão

A tensão entre Irã e Estados Unidos se elevou em maio de 2018, quando os americanos se retiraram do acordo nuclear com o Irã, firmado em 2015, durante a gestão do ex-presidente democrata Barack Obama.

A saída dos EUA não desmantelou o acordo, mas piorou a situação entre os países. Desde a retirada, governos de ambos os países trocam acusações. Americanos afirmam que os iranianos querem fortalecer o programa nuclear, enquanto o Irã aponta para uma interferência americana na política nacional.

Em maio deste ano, a tensão ganhou tons de um confronto direto. Tudo começou quando países árabes revelaram que tiveram navios petroleiros atacados quando navegavam próximos ao estreito de Ormuz, considerado a via mais importante do mundo para petroleiros.

No fim de maio, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, acusou o Irã de ter ordenado os ataques. Mais recentemente, os EUA divulgaram um vídeo que mostraria os iranianos mexendo em explosivos nas laterais dos petroleiros citados. O Irã nega todas as acusações, culpando os Estados Unidos de aumentarem a tensão na região do Oriente Médio.

Fontes:
The New York Times-Trump Approves Strikes on Iran, but Then Abruptly Pulls Back
The Washington Post-Trump ordered attack on Iran for downing drone, then called it off
DW-Trump aprovou ataque ao Irã, mas cancelou de última hora

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *