Início » Internacional » O antissemitismo reaparece na Alemanha
Antissemitismo

O antissemitismo reaparece na Alemanha

Imigrantes judeus e muçulmanos mudam a forma como a Alemanha reage a conflitos entre israelenses e palestinos

O antissemitismo reaparece na Alemanha
Embora ainda haja um resquício de antissemitismo no país, a recente onda é um fenômeno associado aos imigrantes (Reprodução/Internet)

Tem sido um verão difícil para os judeus na Alemanha. Provocados pelos conflitos em Gaza, muitos alemães se manifestaram contra Israel e a favor dos palestinos. Manifestantes em um recente protesto contra a ação militar israelense no território palestino gritavam: Hamas, Hamas, Juden ab ins gas (Hamas, Hamas, judeus para o gás). Uma sinagoga foi incendiada. Alguns judeus foram espancados.

Ao mesmo tempo a Alemanha é um dos lugares favoritos para jovens imigrantes israelenses. O governo alemão permite que judeus cujos avós eram alemãesobtenham um passaporte alemão também.

Embora ainda haja um resquício de antissemitismo no país, a recente onda é um fenômeno associado aos imigrantes. Os antissemitas tendem a ser jovens muçulmanos de ascendência árabe ou turca. Eles não herdaram a identidade coletiva da culpa alemã, mas da marginalização de seus povos por Israel.

Isso coloca alemães em uma situação difícil. A lição específica dos horrores do passado é que a Alemanha nunca deve voltar a oprimir judeus. Mas a sua aplicação geral é que os alemães nunca devem marginalizar qualquer minoria. E isso inclui os muçulmanos alemães.

 

Fontes:
The Economist-Who is the Other now?

2 Opiniões

  1. Roberto1776 disse:

    A Alemanha, infelizmente já foi drasticamente afetada pela moderna praga do politicamente correto e admite indiscriminadamente a entrada e migração de muçulmanos.
    O Brasil começa aos poucos a sofrer desse mal.
    Urge que se tomem medidas (no Brasil e no mundo ocidental) para impedir membros de uma seita diabólica cujo grande objetivo é matar todos que não compartilhem de seus credos.
    Islamismo não é religião, é puro terrorismo, e precisa ser detido ontem, a não ser que a Manning (ele mudou de orientação sexual, apesar de estar na cadeia) e a bruxa de Brasília não concordem.

  2. Regina Caldas disse:

    E desde quando Israel marginaliza palestinos? Que o Economist faça um levantamento do número de árabes que vivem, trabalham, que são parlamentares em Israel, que são tratados nos hospitais israelenses, antes de falar que Israel “marginaliza palestinos” O Economist é tendencioso.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *