Início » Internacional » O dilema do escudo antimísseis na Coreia do Sul
RELAÇÕES DIPLOMÁTICAS

O dilema do escudo antimísseis na Coreia do Sul

Presidente sul-coreano conversa com líder chinês sobre a questão do escudo ao mesmo tempo em que promete a Trump reforçar a aliança com Washington

O dilema do escudo antimísseis na Coreia do Sul
Moon e Jinping criticam o sistema Thaad (Foto: Wikimedia)

Após a eleição na Coreia do Sul, o presidente chinês Xi Jinping ligou, na última quinta-feira, 11, para parabenizar Moon Jae-in pela vitória. Durante a ligação de 40 minutos, os líderes conversaram sobre o controverso Terminal de Defesa Aérea para Grandes Altitudes (THAAD, na sigla em inglês), sistema antimísseis instalado na Coreia do Sul como forma de defesa contra um potencial ataque da Coreia do Norte.

A China não está nada satisfeita com a instalação do sistema, pois acredita que ele pode servir como ferramenta de espionagem para Washington, sendo uma ameaça à segurança nacional. Moon disse que pretende enviar uma delegação a Pequim para resolver esta questão. O presidente chinês pediu que o homólogo sul-coreano também visitasse Pequim.

O presidente sul-coreano, que é liberal, já criticou o escudo antimísseis. Sua antecessora, a conservadora Park Geun-hye, que foi alvo de impeachment, foi quem concordou em implementar o sistema, dizendo que ele era necessário para proteger a Coreia do Sul da ameaça da Coreia do Norte.

Se Moon pedir para os EUA retirarem o sistema, que entrou em operação na semana passada, ele põe em risco sua aliança com o país e vai parecer que sucumbiu a pressão chinesa. Segundo analistas, reverter a decisão não seria uma tarefa fácil, principalmente, porque o escudo já foi implementado. Moon quer alcançar a paz na Península Coreana por meio do diálogo. Segundo o Ministério de Relações Exteriores da China, Xi Jinping também apoia o diálogo entre as duas Coreias em prol da desnuclearização.

Na última quarta-feira, 10, Moon falou com o presidente americano Donald Trump por telefone. Ele prometeu reforçar a aliança com Washington. A promessa será difícil de cumprir caso ele decida retirar o sistema.

Muitos dos liberais que apoiam Moon são contra o sistema. Eles acusam Washington de obrigar a Coreia do Sul a aceitar o escudo. Segundo eles, seria uma estratégia americana para conter a China. Irritada com a implementação do escudo, a China estabeleceu boicotes contra marcas sul-coreanas, o que complicou o cenário econômico do país, já que a China é sua maior parceira comercial. A Coreia do Sul exporta mais de US$ 142 bilhões por ano para o país.

Moon mal foi eleito e já tem um grande desafio nas mãos. Será difícil agradar todos. Independentemente do lado que Moon escolher, as consequências serão inevitáveis.

Fontes:
The New York Times-Moon Jae-in of South Korea and China Move to Soothe Tensions
CNN-Hope for improved China, South Korea relations after leaders speak

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. lucas disse:

    É no que dá quando se faz acordos com o diabo,ficam para sempre escravos !

  2. Beraldoee pessosl disse:

    “Se correr o bicho pega e se ficar o bicho come”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *